Coletivo feminino inova ao realizar entregas com bicicletas

Por Allyson Rafael, Maísa Barbosa e Vivian Vieira

Neste ano, foi criada a Camomila Vulgar, o primeiro coletivo de entregadoras de bicicleta em Curitiba. O movimento, fundado por mulheres e para mulheres, surgiu após um grupo de amigas realizar entregas por conta própria para uma marca de camisetas na cidade. Um dos objetivos do movimento é incentivar o empreendedorismo feminino, além de lidar com as ruas enquanto um ambiente hostil para as mulheres.

Para engajar e incentivar as mulheres a participarem do coletivo, foi criado um formulário (disponível aqui) que é deixado em destaque em suas redes sociais – para ser preenchido por quem tem interesse em fazer entregas e participar do coletivo. “Só mulheres que pedalam participam. Infelizmente, como estamos no início, vamos chamando as participantes aos poucos, pois não temos entregas para todas ainda”, ressalta Isadora Palhano, participante do coletivo.

Como é considerado um trabalho independente, as participantes do movimento recebem conforme as entregas que realizam, sendo uma pequena porcentagem do dinheiro ida para os custos que a Camomila Vulgar possui, como cartões de visitas e camisetas. O restante do dinheiro para a entregadora.  Continuar lendo

Anúncios

Desmatamento de araucárias no Paraná preocupa especialistas

Crime ambiental pode resultar em extinções em massa

Por Amanda Araújo, Douglas Rigamonte e Felipe Camargo

No último mês, 37 araucárias foram alvo de corte ilegal em uma zona rural do município de Rebouças, no Paraná. O BPAmb-FV (Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde), na ocasião, flagrou o crime e encaminhou o caso à Delegacia de Rebouças. Segundo dados da FUPEF (Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná) em conjunto com o MMA (Ministério do Meio Ambiente), apenas 0,8% do território paranaense ainda possui as árvores, que estão em risco de extinção.

De acordo com a doutora em Recursos Florestais Lia Antiqueira, o desmatamento das árvores símbolo do Paraná possui complicações graves, tendo em vista o tempo que a árvore necessita para se desenvolver, além da dificuldade de polinização. “As Gimnospermas como a Araucária não possuem flores e por isso não têm atrativos para polinização, que precisa ser realizada pelo vento. Além disso, sua dispersão fica limitada a algumas aves que carregam o pinhão. Por ser uma espécie de crescimento lento, é muito comum que brotos e mudas não consigam sobreviver devido a queimadas, geadas ou mesmo devorados por insetos”, explica a especialista.

IMG_20171119_180753195

Araucária: árvore símbolo do estado do Paraná (Foto: Amanda Araújo)

Ainda de acordo com Lia Antiqueira, o desmatamento das araucárias pode causar prejuízos à biodiversidade de todo o país. “Quando ecossistemas são alterados, há prejuízo para todas as espécies que nele vivem, pois há uma teia de relações ecológicas que sustentam o sistema”, afirma. A doutora ainda explica que as consequências podem ser permanentes. “O Brasil possui a maior biodiversidade do mundo, mas ao se descuidar da conservação de espécies como a Araucária, corre-se o risco de extinções em massa de outras espécies que são associadas à Floresta Ombrófila Mista. Sem falar nas alterações edáficas [solo] e no microclima local”, completa.

Segundo a Polícia Ambiental, o corte ilegal de araucária pode configurar crime ambiental, resultando em multa de R$ 500,00 para cada árvore derrubada. Em casos de reincidência ou desmatamento em Áreas de Preservação Permanente (APP), as penas podem chegar a reclusão, além de aumento substancial no valor das multas.

Apesar da crise, brasileiros continuam comprando natal

Por Alessandra Rosa Stahsefski , Giulia Gaio e Juliane Fürbringer

Amanhã começa o mês de Dezembro, marcado pelo grande movimento de compras do Natal. Além disso, este período também conta com diversas programações natalinas espalhadas pela cidade, modificando a rotina dos curitibanos. A maioria das pessoas costuma dedicar o tempo disponível neste mês à procura de presentes e promoções que aliviem os custos no bolso de cada um. Porém, a crise econômica tem afetado os consumidores desde o ano passado, motivo que leva muitas pessoas a pesquisarem mais vezes antes de consumir.

A jornalista e editora de textos Flávia Garcia Penna é consumidora ativa no período do Natal relatou brevemente sobre como a crise afetou seus hábitos neste ano. “Em razão da crise, as pessoas tendem a gastar seu dinheiro com mais consciência. Penso que boa parte da população gasta apenas com itens realmente necessários, como saúde, educação e alimentação, e acaba por deixar os presentes em segundo plano”, afirmou. Como sugestão a outros consumidores para economizarem nesta época, Penna aponta que uma boa ideia é comprar presentes pela internet, pois há muitas opções criativas por preços justos. “Manter-se distante do shopping é o melhor negócio”, aconselhou.  Continuar lendo

Curitiba participa de Dia Mundial de Doação na próxima terça-feira

Por Allyson Rafael, Maísa Giraldelo e Vivian Vieira*

Na próxima terça-feira (28), acontecerá o “Dia de Doar”, um movimento internacional que visa promover a cultura de doação pelo mundo. Em Curitiba, o evento é organizado pelo “Movimento por uma Cultura de Doação”, que reúne organizações e indivíduos engajados na causa. As instituições participantes divulgarão a ação neste final de semana na C’adore Comida Descomplicada, onde cada organização venderá seus produtos e apresentará seus trabalhos no dia 25 e, no dia 26, nas Ruínas de São Francisco, juntamente com atividades da Rádio Mundo Livre.

O movimento que promove o evento, cria materiais, artes, vídeos e cartazes para que cada fundação participante do “Dia de Doar” use como divulgação e faça a própria campanha para arrecadação de fundos. Amanda Riesemberg Ferreira, diretora de marketing da ação, comenta que qualquer pessoa poderá ajudar, seja doando ou publicando algo sobre o movimento. “As pessoas que não têm como doar, podem compartilhar a campanha para que outras pessoas de sua rede doem recursos, utilizando a hashtag (#diadedoar) e sendo voluntário em organizações que você se identifique”, afirma.  Continuar lendo

Ação de prevenção da cegueira em diabéticos foi realizada em Curitiba

S95-Grupo 6 (2)

Clínica oftalmológica, Prefeitura Municipal de Curitiba e voluntários promoveram a ação “Retina do Bem”, diminuindo filas em hospitais para exames em diabéticos

Por Amanda Correia, Ketlyn Oliveira e Maria Beatriz Azzi*

Um mutirão de oftalmologistas realizou procedimentos gratuitos para mais de 3 mil pessoas no dia 11 de novembro, durante o projeto “Retina do Bem”. Portadores de diabetes com indicação tiveram acesso gratuitamente a exame de Fundo de Olho, Retinografia Digital e Fotocoagulação a Laser. A ação foi realizada pela Oftalmoclínica Curitiba e Retina Curitiba em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, na Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho, no bairro Rebouças, em Curitiba, das 7 às 17 horas. Os pacientes realizaram os exames necessários para diagnóstico e, em determinados casos, receberam encaminhamento para cirurgia.

Um dos objetivos do projeto é solucionar a fila de espera para exames oftalmológicos em pacientes com diabetes do SUS. Com isso, pretende-se evitar que diversas pessoas com a doença percam a visão durante o tempo que esperam para conseguir o atendimento. Com uma estrutura montada na Praça Ouvidor Pardinho, contou com uma equipe de quase 200 voluntariados divididos em recepção, apoio, enfermeiros e 40 oftalmologistas de plantão. Além disso, os presentes no evento puderam receber orientações de como viver bem com diabetes e assistir palestras relacionadas ao tema.  Continuar lendo

Hamburgueria curitibana promove evento para adoção de cachorros

Reportagem: Sara Takatsuki
Pauta: Julia Duda
Edição: Jessica Guimarães

Ocorreu neste domingo (19) uma feira de adoção de cachorros promovida pela hamburgueria curitibana Whatafuck com a parceira do Projeto Ajudei, uma associação de voluntários que resgata animais em situações de risco. O evento aconteceu no período da tarde, na hamburgueria, e possuía o objetivo de, além de arranjar novos lares para os cachorros, também arrecadar ração para o projeto de resgate. A Whatafuck incentivou a participação do público oferecendo um hambúrguer e um chope a cada 1kg de ração doado. No dia do evento, mais de 600 kg foram arrecadados e vários cachorros foram adotados.

Aurélio Aguiar, um dos idealizadores e voluntários do Projeto Ajudei, declarou estar muito feliz por uma organização de iniciativa privada apoiar esta causa. Daniel Mocellin, proprietário da Whatafuck, afirmou que a ideia do evento já existia desde o início das atividades da hamburgueria e contou um pouco sobre as expectativas da ação. “Nosso objetivo hoje é conseguir o máximo de ração possível e que, além disso, os onze cachorros que estavam aqui hoje tenham uma casa nova”, disse. 

Para Aurélio, “o evento que a Whatafuck fez foi muito valioso pois mostra que a consciência das pessoas está mudando. Mostra que as pessoas estão olhando com mais carinho para os animais abandonados e em situação de risco. Inclusive o Daniel, que teve a capacidade de envolver o seu comércio em prol dos animais”. O Projeto Ajudei realiza o resgate, tratamento e castração, além de fazer a ressocialização dos animais. Os adotantes passam por um processo de entrevista, assegurando de que os animais terão uma vida digna. Saiba mais sobre o Projeto Ajudei clicando aqui . 

20171119_164615

Aurélio e Daniel na feira de adoção (Foto: Sara Takatsuki).

Feiras de orgânicos são oferecidas pela Prefeitura em prol da boa alimentação

Por Jeane Amaral, Laura Bedin e Luíza Queluz*

Durante a semana, ocorrem feiras de orgânicos promovidas pela prefeitura de Curitiba. Montadas em diversos pontos da capital, incluindo os turísticos, elas acontecem das 7h às 12h na maioria dos bairros, com exceção das feiras noturnas, no Cristo Rei e Ahú, que funcionam das 17h às 21h. O consumo de orgânicos é incentivado por eles serem vantajosos tanto para a saúde quanto ao meio ambiente. Mais saborosos e mais saudáveis, esses alimentos não possuem conservantes ou derivados e têm maior concentração de nutrientes.

As feiras de Curitiba, que tiveram origem em 1989, com barracas de orgânicos junto às de artesanato na tradicional feira do Largo da Ordem, cada vez mais recebem consumidores adeptos desse tipo de alimentação. Embora os preços dos produtos sejam um pouco mais elevados que os alimentos convencionais, os benefícios de consumir orgânicos são vários e justificam o investimento. Zeldir Izidoria Oliveira da Rocha (39), consumidora de orgânicos que trocou os supermercados pelas feiras há mais de dois anos, confirma isso. “O preço nas feiras é justo, pois além dos alimentos serem mais saudáveis, o sabor e o aroma são mais intensos”, afirma. Segundo ela, nos supermercados, os preços dos alimentos orgânicos custam até o triplo dos demais.  Continuar lendo

Regulamentação de hospedagem infantil é aprovada na Câmara de Curitiba

Reportagem: Rafaela Teixeira
Pauta: Kauhany Souza
Edição: Thaiane Lago Rovani

Na última terça-feira (14), a Câmara Municipal de Curitiba aprovou o projeto de lei que regulamenta a hospedagem de crianças e adolescentes na cidade. Agora, é obrigatório a hotéis, motéis, pensões, pousadas, albergues ou estabelecimentos congêneres ter uma ficha com informações sobre crianças e adolescentes de 0 a 18 anos que se hospedarem nestes locais.

cmc

Vereador Thiago Ferro discursa no plenário da CMC (Foto: Chico Camargo/CMC)

A ficha poderá ser mantida nos estabelecimentos de forma manual ou digital, contanto que tenham dados básicos das crianças e adolescentes e de seu pais, tutores legais ou responsáveis com ordem judicial para estar com eles, além de uma fotocópia do documento oficial da criança ou do adolescente anexada. Se o responsável não apresentar documentos que identifiquem essa criança ou adolescente, tal informação obrigatoriamente deverá constar na ficha e será necessária a apresentação dos documentos dos responsáveis. Havendo recusa no repasse de informações e documentações solicitadas, a direção do estabelecimento deverá informar imediatamente os Conselhos Tutelares e às autoridades policiais.  Continuar lendo

Consulta Pública determina Educação como prioridade para Curitiba em 2018

Por Maisa Barbosa e Leon Pureza*

Uma audiência pública realizada no fim de outubro reuniu representantes da Prefeitura de Curitiba na Câmara Municipal para definir o orçamento para o município no ano de 2018. A Lei Orçamentária Anual (LOA) deve ser votada e aprovada até o fim de cada ano que precede o planejamento. A participação popular é solicitada quando, na fase de consulta pública, sugestões da população são recolhidas. As sugestões servem de alicerce para emendas que os vereadores apresentarão antes de votar a LOA.

A fase de consulta pública foi realizada entre os dias 11 e 17 de outubro e a população pôde exercer a cidadania votando em urnas físicas localizadas nas regiões administrativas ou também pela Internet pelo site da câmara e também pela rede social “Twitter”. A consulta pública contou com 471 participações registradas e, segundo o relatório apresentado na audiência, a principal demanda da população é direcionada para a Educação, com 19% das solicitações, em segundo lugar em a segurança, com 18% das sugestões, e em terceiro melhorias nas ruas da cidade, com 16%.  Continuar lendo

Alunas do Ensino Fundamental desenvolvem aplicativo contra assédio sexual

O projeto é desenvolvido para auxiliar na prevenção de abusos em locais públicos

Por Amanda Araújo, Douglas Rigamonte e Felipe Camargo

Na última semana (23/10), as estudantes Eduarda Rossi e Lara Prado do Colégio Positivo Júnior, em Curitiba, lançaram um aplicativo anti assédio com intuito de diminuir casos de violência sexual nos ônibus e na cidade. As alunas, que cursam o 9º ano do Ensino Fundamental, desenvolveram o projeto para participarem da 10ª edição da Mostra Soluções Para Uma Vida Melhor, realizado pelo colégio onde estudam. O intuito do evento é propor uma resolução para a sociedade em relação a um tema polêmico. Por este motivo, Eduarda e Lara escolheram o tema dada a relevância atual dele. Segundo dados da Polícia Civil do Paraná, uma mulher é assediada a cada cinco segundos no Brasil; no Paraná, a cada 11 minutos.

De acordo com a professora de língua portuguesa e orientadora do projeto, Claudia Morgenstern, a expectativa do aplicativo, denominado SOS People, é auxiliar as pessoas que sentem receio de se manifestar perante um caso de abuso. “Nós esperamos que esse aplicativo possa auxiliar aquela pessoa que é tímida, que não denuncia por medo. Porque de acordo com a delegada da Delegacia da Mulher de Curitiba, Sâmia Coser, apenas 1% das vítimas denunciam casos de assédio”, afirma a professora.

O SOS People ainda é um protótipo, que funciona a partir de um botão portátil conectado ao bluetooth do celular. Quando a vítima é assediada, tem a possibilidade de acionar o botão com um som forte similar ao de uma sirene para causar espanto ao infrator. Nos casos em que o criminoso está armado ou apresenta periculosidade maior, a vítima aciona o sinal silencioso que emite sua localização em tempo real para os familiares e amigos cadastrados no aplicativo, os quais podem contar com posição simultânea e solicitar a presença da polícia com maior agilidade.

sos

Desenho e prototipagem do SOS People (Foto: Claudia Morgenstern)

A possibilidade de contar com um aplicativo como este é vista com bons olhos para algumas mulheres, como é o caso da estudante de jornalismo Ana Lopes,  que destacou o mecanismo discreto e útil que pode fazer a diferença em situações de abuso. “A ideia do aplicativo é boa e muito útil, pois já sofri assédio várias vezes e tendo uma plataforma como essa ajudaria a colocar um freio na situação”, afirma. Agora, o projeto das meninas de Curitiba está concorrendo a uma vaga na Feira Brasileira de Ciências e Engenharias (Febrace), promovida pela Universidade de São Paulo (USP).