Ação de prevenção da cegueira em diabéticos foi realizada em Curitiba

S95-Grupo 6 (2)

Clínica oftalmológica, Prefeitura Municipal de Curitiba e voluntários promoveram a ação “Retina do Bem”, diminuindo filas em hospitais para exames em diabéticos

Por Amanda Correia, Ketlyn Oliveira e Maria Beatriz Azzi*

Um mutirão de oftalmologistas realizou procedimentos gratuitos para mais de 3 mil pessoas no dia 11 de novembro, durante o projeto “Retina do Bem”. Portadores de diabetes com indicação tiveram acesso gratuitamente a exame de Fundo de Olho, Retinografia Digital e Fotocoagulação a Laser. A ação foi realizada pela Oftalmoclínica Curitiba e Retina Curitiba em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, na Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho, no bairro Rebouças, em Curitiba, das 7 às 17 horas. Os pacientes realizaram os exames necessários para diagnóstico e, em determinados casos, receberam encaminhamento para cirurgia.

Um dos objetivos do projeto é solucionar a fila de espera para exames oftalmológicos em pacientes com diabetes do SUS. Com isso, pretende-se evitar que diversas pessoas com a doença percam a visão durante o tempo que esperam para conseguir o atendimento. Com uma estrutura montada na Praça Ouvidor Pardinho, contou com uma equipe de quase 200 voluntariados divididos em recepção, apoio, enfermeiros e 40 oftalmologistas de plantão. Além disso, os presentes no evento puderam receber orientações de como viver bem com diabetes e assistir palestras relacionadas ao tema. 

A Retinopatia Diabética é uma das principais causas de cegueira nos adultos, já que a doença tem rápida evolução. Sendo assim o diagnóstico e tratamento precoces são fundamentais para a preservação da visão e qualidade de vida dos pacientes. Durante o evento, a paciente Ariane Rodrigues Kapusty (19), fez um relato sobre o que passa com a sua doença. “Eu descobri a diabetes quando tinha 6 anos, após passar mal algumas vezes passei a perder peso muito rápido, sentia muita sede e falta de ar, como meu pai também tinha diabetes (falecido há 6 anos), minha mãe desconfiou e me levou até o hospital, onde tivemos a confirmação, foi um momento muito difícil”, conta a jovem.

Ela ainda ressaltou e elogiou a ação. “A minha diabetes é tipo 01, faço uso continuo de insulina humana, fornecida pelo SUS. Sou muito grata aos órgãos públicos e aos voluntários, por nos proporcionarem esses eventos. Faço os exames de retina de 06 em 06 meses, mas pago plano de saúde para garantir essa frequência, pois as filas são muito grandes pelo hospitais públicos, e ver essas atividades voltadas ao bem estar dos diabéticos é realmente muito gratificante”, afirma.

*Estudantes de Comunicação Organizacional na UTFPR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s