Cheio de vida – Luís Felipe Sprotte Costa

luis
Roberson Popadiuk

O ano é 2005, seu primeiro em Budapeste. Estava com seus colegas de classe de húngaro em uma visita ao parlamento. Após a visita, pegou uma carona com sua colega russa de volta ao Instituto Balassi Bálint, onde morava e estudava. Narrússia, nome carinhosamente dado por ele, era uma mulher muito peculiar, reclamona, sempre falando do país de origem. Continuar lendo

Anúncios

Terceira edição do Subtropikal acontece entre os dias 7 e 15 de julho

Alcilaine de Macedo Alencar

A terceira edição do Festival de Criatividade Urbana será realizado entre os dias 7 e 15 de julho, em Curitiba, na Casa Subtropikal (Avenida Marechal Floriano, 720). A casa estará com suas portas abertas para atender gratuitamente a comunidade criativa e curiosos, contando com oficinas, apresentações, intervenções artísticas e circuito de debates. Continuar lendo

Comunicação Organizacional da UTFPR ganha seis prêmios na Expocom Sul 2018

Estudantes aguardam o resultado dos finalistas para a etapa nacional da Expocom, que ocorrerá em setembro

Thaís Cruz Jess

O curso de Comunicação Organizacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) conquistou seis prêmios na XXV Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (Expocom 2018). A premiação ocorreu durante a programação do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Regional Sul (Intercom Sul 2018), de 29 de junho e 2 de julho, no Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz (FAG), em Cascavel (PR). Continuar lendo

Malandra ou princesa? Sabrina, a controversa

Sabrina fala sempre em receber o Oscar das mãos de Fernanda Montenegro – Foto: Jorge Franzoni

Luis Felipe Gama Barros

Vez ou outra, quando me sinto demasiado “normal”, penso que poderia ser mais ousado, vibrante, louco ou até mesmo inconsequente. Daí me vem à cabeça uma figura que tem todas essas características, que não sei bem se me parecem defeitos ou qualidades. Sabrina Marques, ou a “Sá” como costumo chamá-la, é dessas personalidades incomuns que encontramos em alguma fase da vida e nunca mais esquecemos. Dona de um espírito ansioso e enérgico, ela preenche qualquer ambiente no qual se faz presente. A entonação da sua voz grave e seus exagerados gestos corporais somando-se ao seu 1,75 metro de altura enfatizam sua vigorosa personalidade. Continuar lendo

Por que o Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTI+ no mundo? ENTREVISTA COM TONI REIS

Toni Reis está há 26 anos à frente do Grupo Dignidade – Foto: Geisa Costa

Roberson Popadiuk

Uma pesquisa publicada no início de 2018 pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) mostra que o ano de 2017 foi o mais violento para a comunidade LGBTI+ no Brasil, tendo em vista os 38 anos em que o levantamento vem sendo realizado. Ao todo, foram 445 assassinatos de pessoas LGBTI+ vítimas de LGBTfobia. Isso equivale a uma morte a cada 19 horas.

A pesquisa do GGB se baseia em dados obtidos na mídia, ou seja, o grupo prevê que esses números podem ser muito maiores, pois muitas mortes não são registradas. A pesquisa ainda revela que o estado de São Paulo liderou o ranking de mortes, seguido por Minas Gerais e Bahia. Na sétima posição, empatado com o estado do Alagoas, está o Paraná, que somou um total de 23 mortes. Atualmente, o Brasil é um dos países que mais matam LGBTI+ no mundo.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o tema, convidei o ativista e professor Toni Reis. Toni é licenciado em Letras e Pedagogia, especialista em Sexualidade Humana, mestre em Filosofia e doutor em Educação. Toni é um dos fundadores de uma das maiores e mais importantes organizações que lutam pela causa LGTBI+ no Brasil, o Grupo Dignidade. É reconhecido internacionalmente pelo seu ativismo nas áreas de cidadania e igualdade. É casado com David Harrad há 28 anos, que não é apenas seu parceiro de vida, mas também de luta. Juntos os dois são pais de 3 filhos adolescentes e se dividem em uma rotina corrida entre Curitiba e Brasília. Continuar lendo

UTFPR – Câmpus Curitiba tem mais uma empresa júnior federada

Alcilaine de Macedo

A Cacto Comunicação, Empresa Júnior (EJ) composta por estudantes do curso de Comunicação Organizacional (Comorg) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Câmpus Curitiba, associou-se à Federação das Empresas Juniores do Estado do Paraná (Fejepar). A deliberação ocorreu durante Assembleia Geral da Fejepar, realizada em junho, na UTFPR – Câmpus Guarapuava, reunindo estudantes empresários juniores de diversas instituições de ensino superior (IES) de todo o Paraná. Continuar lendo

O dia em que ganhamos nosso primeiro prêmio universitário

Thais, Luiz e Juliana: premiação de trabalho do primeiro semestre – Foto: Gabriel Abreu

Juliana Borba de Lemos

Lembro-me exatamente da minha primeira aula da disciplina de Comunicação e Criatividade. Estava na primeira semana de aulas do meu primeiro período da faculdade de Comunicação Organizacional. A professora explicava sobre o trabalho que seria desenvolvido ao longo do semestre, e eu olhava a projeção do conteúdo na parede, incrédula e pensativa sobre como eu iria passar por ele sem grandes dramas. Era um trabalho sobre as comunicações na cidade ou da cidade de Curitiba, a capital mais fria do Brasil e município que abriga um dos campus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, instituição onde estudamos. Continuar lendo

4º Festival de Blues de Antonina é adiado e será realizado dia 6 de julho

A banda de blues Red Foot já confirmou presença no festival – Foto: Divulgação/Facebook Red Foot

Gustavo Fonseca

Devido à paralisação dos caminhoneiros do mês de maio, a quarta edição do Festival de Blues de Antonina chegará à cidade com nova data e nova programação. O evento, que antes seria realizado de 31 de maio a 3 de junho, precisou ser prorrogado para o período de 6 a 8 de julho.

Deitada à beira do mar, a aproximadamente 80 km de distância da capital paranaense, Antonina é uma cidade conhecida por sua gastronomia, sua arquitetura histórica e por suas belas paisagens. Com grandes eventos ao longo do ano, como o tradicional carnaval de rua e o Festival de Inverno realizado pela Universidade Federal do Paraná, o turismo e a cultura figuram entre os elementos fundamentais para o seu desenvolvimento. Continuar lendo

As mãos que plantam

Texto e fotos: Hannah Sarah

Curitiba recebeu, de 6 a 9 de junho, a 17ª edição da Jornada de Agroecologia, realizada por diversos movimentos sociais, dentre eles o MST. O objetivo foi promover discussões e cursos sobre o tema, mas também uma aproximação entre os moradores da cidade e os camponeses.

A jornada acontece desde 2002. O evento tradicionalmente reúne agricultores de todo o Paraná que realizam uma produção agroecológica. Este ano foi a primeira vez que o evento foi realizado em Curitiba.

A feira aconteceu na Praça Santos Andrade e contou com diversas barracas de produtos agroecológicos

A integração cidade-campo foi a marca desse evento, a Feira da Reforma Agrária, da Agricultura Familiar e da Economia Solidária aconteceu na Praça Santos Andrade, oferecendo para a cidade muitos produtos sem veneno e de qualidade.

Além da feira, a Jornada ofereceu oficinas, seminários e atrações culturais. Nesta edição foi instalado um túnel do tempo no pátio da reitoria da UFPR, lá o visitante teve acesso a histórias das lutas do campo, da reforma agrária, da agroecologia e da agricultura familiar.

A AG Comunique entrevistou seis produtos que estavam vendendo seus alimentos na feira. Cada um ajuda a contar a história da agroecologia no Paraná, os desafios da agricultura familiar e as lutas pela reforma agrária, trazendo reflexões sobre a origem dos alimentos e quem são os trabalhadores por trás desse processo pouco conhecido e valorizado. Continuar lendo

Dilemas brasileiros

Guilherme Augusto Leite

O Brasil ainda tem jeito? Depois de cinco séculos de construção por vezes caótica de uma nação singular na história humana, muitos dos que se colocam diante do complexo problema que se tornou o futuro do nosso país – somatório de muitos problemas acumulados – são tentados a dizer que não.

Não é o caso de Leonardo Boff. O teólogo e ambientalista que ajudou a fundar uma nova forma de se pensar a Igreja Católica, dividiu opiniões, chegou a ser silenciado pelo então cardeal Joseph Ratzinger (atual papa emérito Bento XVI) e se tornou voz ativa na defesa da ecologia, é acostumado a buscar caminhos de renovação. Continuar lendo