José Padilha deve estar contente

TEXTO DE OPINIÃO

Samuel Ramos Gonzaga (*)

Recentemente, José Padilha, diretor de “Tropa de Elite” e “Robocop”, anunciou que irá dirigir uma série sobre a Operação Lava Jato, em parceria com a empresa de streaming Netflix. A produção deverá ir ao ar em 2017 e, segundo Padilha, “é fundamental que a série seja produzida com imparcialidade”.

Nesta terça-feira (31/05), Padilha deve ter acordado contente, pois um capítulo importante da trama começa a ser revelado. Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a Odebrecht assinou na quarta-feira passada (25/05) um documento que formaliza a delação premiada da empresa. Esse fato promete agitar os próximos meses da investigação, pois a empreiteira deve revelar e detalhar quais campanhas políticas receberam verbas ilícitas. Alguns nomes conhecidos, como Aécio Neves, Dilma Rousseff e o presidente em exercício, Michel Temer, podem aparecer nessa delação, o que conturbará ainda mais o atual cenário político brasileiro. Como afirmou o ex-presidente José Sarney a Sérgio Machado, ex-presidente da TransPetro, em áudio vazado, uma eventual delação da Odebrecht seria “uma metralhadora de ponto 100”.

Continuar lendo