Primeira etapa do ENEM 2017 é realizada com diversas novidades

Por Laura Bedin e Jeane Amaral*

No último domingo (5), foi realizado em todo o país o primeiro dia de provas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). No Paraná, mais de 287 mil candidatos realizaram a primeira etapa da avaliação. Linguagens, Ciências Humanas e Redação foram as disciplinas aplicadas aos candidatos, com duração de 5h30. A última etapa será realizada no próximo domingo, 12 de novembro, com as provas de Matemática e Ciências da Natureza.

Na edição de 2017, com mais de 6,7 milhões de inscrições, diversas mudanças foram estabelecidas. Até 2016, as provas eram aplicadas em um mesmo fim de semana e, neste ano, acontecem em dois domingos diferentes. Isso torna o processo igualitário para os sabatistas (aqueles que guardam o sábado por motivo religioso) – que chegavam a ficar 9h esperando para realizar a prova – e também menos exaustivo para os candidatos. Outras novidades são a possibilidade de usar o nome social e o atendimento especial oferecido aos deficientes auditivos, com a aplicação de vídeo provas traduzidas em libras.

Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o ENEM não servirá mais como certificado de conclusão do ensino médio, função que volta a ser do Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos). Além disso, houve mudanças em relação aos cadernos dos candidatos, que agora vem identificados com o nome do aluno, como uma medida de segurança, ajudando a evitar fraudes.

Sobre as mudanças realizadas na edição de 2017 do ENEM, Maria Clara Cavazzani, estudante que realizou a prova pela segunda vez, destaca algumas melhorias em relação ao ano anterior. Para ela, a alocação dos candidatos foi mais adequada, visto que a divisão deixou de ser por ordem alfabética e passou a considerar o endereço dos candidatos, o que facilitou a mobilidade. Já sobre a separação das provas em dois domingos, Maria Clara ressalta que, embora isso torne o exame menos exaustivo, os candidatos tendem a ficar mais ansiosos, devido ao maior intervalo de tempo entre as avaliações.

O ENEM, prova elaborada pelo MEC (Ministério da Educação) anualmente desde 1998, avalia a qualidade do ensino médio no país, além de ser uma forma de ingressar nas universidades. São muitas as opções em que a nota obtida no ENEM pode auxiliar, como por exemplo os programas criados pelo MEC. Um deles é o SISU (Sistema de Seleção Unificada), pelo qual instituições públicas de educação superior destinam vagas a candidatos participantes do ENEM. Outro programa é o PROUNI (Programa Universidade para Todos), o qual concede bolsas de estudo integrais e parciais em instituições privadas de ensino superior. Já o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) tem como objetivo financiar as mensalidades de cursos de graduação para estudantes que estejam regularmente matriculados em instituições privadas de educação superior.

* Estudantes de Comunicação Organizacional da UTFPR

Anúncios

Mostra de filmes promove cultura japonesa em Curitiba

Reportagem: Rhuan Iasino
Pauta: Deborah Deluchi
Edição: Leonardo Batistão

Entre os dias 31 de outubro e 3 de novembro, foi promovida uma mostra de filmes japoneses em Curitiba, em comemoração ao mês da cultura japonesa. O evento, que ocorreu na Cinemateca e foi promovido pelo Consulado Geral do Japão, em parceria com a Fundação Japão, exibiu obras inéditas no Brasil, com áudio original e legendas em português. Um dos títulos de destaque na programação foi a comédia “Key of Life”, do diretor japonês Kenji Uchida. O filme ganhou a estatueta na categoria de roteiro do Japan Academy Prize de 2012.

Segundo o vice-cônsul do Japão, Yuma Kobayashi, o objetivo do evento era divulgar a cultura japonesa moderna. “Queremos divulgar a cultura japonesa, não somente as tradicionais e já conhecidas, mas também as modernas”, disse Kobayashi, que também é chefe do setor cultural do consulado. Ele ainda afirmou que a cidade de Curitiba possui um ambiente favorável a cultura nipônica, devido a grande comunidade japonesa local.

Além da mostra de filmes, outros eventos também são realizados pelo Consulado Geral do Japão em Curitiba para promover a cultura na cidade. Um deles é o Haru Matsuri, evento anual que ocorre sempre no mês setembro para comemorar o início da primavera. No festival, são realizadas exposições japonesas em estandes, apresentações musicais e folclóricas, além do comércio de comidas e bebidas típicas da nação oriental. Mais informações sobre as iniciativas podem ser consultadas clicando aqui.

Presença da mulher no Cinema é debatida em semana acadêmica na UFPR

Reportagem: Jessica Guimarães
Pauta: Sara Takatsuki
Edição: Julia Duda

Acontece nesta semana, do dia 6 a 10 de novembro, a Revés, Semana Acadêmica dos cursos de Design da UFPR (Universidade Federal do Paraná). O evento promove diversas discussões, palestras, workshops e atividades extracurriculares abertas para o público. Dentre esses eventos, realizou-se no dia 8 uma palestra que debateu a presença da mulher na área do Cinema.

A palestra foi ministrada por Marina Persegani (19), formada no curso de Processos Fotográficos e Produção de Áudio e Vídeo pelo IFPR (Instituto Federal do Paraná). A atividade abordou o machismo velado muito presente no mercado cinematográfico e criticou a desigualdade ainda existente, pois o espaço da mulher no cinema ainda é muito pequeno. “A diversidade de gênero atrás das lentes sofre um crescimento muito lento na última década, com pouca variação percentual de um ano para o outro”, apontou Marina. Ainda segundo Persegani, apenas 20% dos filmes nacionais são dirigidos por mulheres, refletindo a falta de representatividade, assédios e diferença salarial no meio.  Continuar lendo

Pesquisa em Curitiba desenvolve medicamento preventivo ao vírus HIV

Reportagem: Giulia Gaio
Pauta: Alessandra Rosa Stahsefski
Edição: Juliane Fürbringer

No início deste ano, iniciaram-se estudos em Curitiba a respeito de um medicamento que previne a contaminação do vírus HIV. Denominado “Projeto Combina”, as pesquisas sobre a PrEP (Profilaxia Pré-Exposição ao HIV) são realizadas no COA (Centro de Orientação e Aconselhamento) e orientadas pelo psicólogo Alan Silveira (CRP 08/22073). Este projeto desenvolve um medicamento preventivo ingerido por pessoas antes de serem expostas ao vírus do HIV, seja por meio das relações sexuais, pelo compartilhamento de seringas ou outras situações que apresentem tal ameaça.

Segundo Alan Silveira, todos os participantes da pesquisa são voluntários e, atualmente, 25 pessoas utilizam o medicamento enquanto 15 aguardam na fila de espera para avaliação. O primeiro passo do procedimento para uso da medicação acontece da seguinte maneira: os pacientes passam por uma análise e é verificado se ele se enquadra no grupo de risco (pessoas que têm parceiros casuais ou relações com parceiros soropositivos, sem o uso de preservativo ou com o rompimento do mesmo ou pessoas que compartilham seringas, levando em consideração a análise de cada caso especificamente). Caso a manifestação não ocorra, mas a ameaça seja comprovada, o paciente inicia uma fase de teste para o uso contínuo do medicamento, que protege as células responsáveis pela imunidade impedindo o vírus de se alojar.  Continuar lendo

Alunos são convocados a participar de eleição para Diretor Geral

Eleição da UTFPR para Diretor Geral do campus Curitiba acontece hoje e conta com participação dos alunos

Reportagem: Juliane Fürbringer
Pauta: Alessandra Rosa Stahsefski
Edição: Giulia Gaio

Hoje (9/11), acontece na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) a eleição da nova diretoria do Campus Curitiba, das 9h às 21h30 nas três sedes da cidade. O DCE (Diretório Central dos Estudantes) do campus convoca todos os estudantes a votarem para Diretor Geral. Para Luiz Fernando Rosa, presidente do DCE, ter sido conquistado o voto do aluno é de grande importância, entretanto, afirma que ainda existem diversos problemas em relação ao voto, como por exemplo, a paridade do peso dos votos e a participação mais ativa por parte dos estudantes na política e administração da UTFPR.

De acordo com o presidente do DCE, que é estudante de Letras Português/Inglês e Ativista do movimento Negro, ainda não são todos os alunos que entendem a importância de participar na votação. Infelizmente a UTFPR é dividida em dois grupos; o primeiro é composto por um grande grupo de alunos que vêem a Universidade como um espaço apenas para estudo e pesquisa, por conseguinte, eles esquecem da parte de extensão do ambiente acadêmico […]. O segundo grupo, que infelizmente é minoritário, é composto por estudantes que em sua maioria são mais engajados e/ou vinculados aos Centros Acadêmicos dos cursos da UTF”, afirma. Luiz Fernando Rosa complementou ainda que não prevê muita mudança na participação dos alunos para esta eleição. “Assim como na última, os alunos envolvidos serão os que fazem parte do grupo mais engajado”, disse.

A disputa conta com quatro candidatos professores: Christian do DAGEE- CT; o Prof Schiefler do DAMEC-ECO; Prof Nanci do DAMAT- CT; Kléber. O DCE organizou três debates com os candidatos, um no dia 27/10 na sede Ecoville e outro no dia 30/10 na sede Centro, que, segundo o DCE, contou com a presença de cerca de 90 alunos, além de servidores e professores. O terceiro e último debate foi realizado ontem (08/11), na sede Centro, e foi transmitido ao vivo pelo canal da UTFPR, no youtube.     

Sobre os debates, o presidente do DCE contou que os temas discutidos, como a mudança de sedes e ocupação do ecoville, surgiram a partir de um formulário disponibilizado na página do DCE do Facebook, e as questões mais recorrentes foram selecionados para o debate como perguntas obrigatórias. Comentou ainda que os candidatos Prof. Schiefler, Profa. Nanci e Prof. Christian entraram em contato com o diretório estudantil para saber quais as necessidades e demandas dos alunos.

Confira os principais pontos defendidos pelos candidatos:

 

 

SERVIÇO:
Eleição – Direção Campus Curitiba
09 de novembro de 2017 – 09h às 21h30
Sede Centro: Urnas estarão dispostas no mini ginásio (próximo à piscina);
Sede Ecoville: Urnas estarão dispostas na sala da administração – andar térreo;
Sede Neoville: Urnas estarão dispostas na sala de reuniões – entrada principal da sede.

Estudante de Comorg conquista primeiro lugar no Sicite 2017

Nayane-Professores

A estudante Nayane Cardoso, estudante de Comunicação Organizacional, é parabenizada por professores pelo prêmio recebido por sua pesquisa na UTFPR (Foto: Cristiano Sousa)

Por Cristiano Sousa*

A estudante Nayane Cardoso, do 7º período do curso de bacharelado em Comorg (Comunicação Organizacional) do Câmpus Curitiba, conquistou o prêmio de melhor apresentação oral na área de Ciências Sociais Aplicadas, dentre todos os campi da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). A premiação ocorreu durante o encerramento do XXII Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da UTFPR (Sicite 2017), realizado, neste ano, na cidade de Londrina, na região Norte do estado do Paraná.

Segundo Nayane, seu trabalho teve como objetivo analisar as páginas dos candidatos à Prefeitura de Curitiba, no Facebook, no primeiro turno das eleições de 2016, observando as estratégias usadas por cada político. “Os resultados preliminares da pesquisa indicaram perfis que nem sempre se adequam aos parâmetros da rede social em termos de visibilidade, ou seja, o uso apropriado da rede nem sempre coincide com o sucesso nas urnas”, concluiu, relacionando a escolha do tema à “mudança do modus operandi das campanhas eleitorais regionais, em decorrência da internet e das redes sociais”.

A pesquisa, orientada pela professora Edna Miola, foi desenvolvida por Nayane no âmbito do Grupo de Pesquisa Discurso, Comunicação e Democracia (Discord), onde a aluna é bolsista de Iniciação Científica. O grupo, vinculado ao CNPq e também coordenado pela professora Edna Miola, discute e investiga temas pertinentes à interface entre a Comunicação e a Política, com ênfase nos discursos que perpassam as estratégias de atores e organizações, voltadas para a prática democrática e que se utilizam das tecnologias da Comunicação.  Continuar lendo

Exposição “Te empresto meus olhos” traz fotografias em braile e 3D para pessoas com deficiência visual

Por Kaissa Frade, Gabriela Paim e Nathaly Iara

Desde 21 de outubro, está em cartaz a exposição “Te empresto meus olhos”, na BPP (Biblioteca Pública do Paraná), como parte do Circuito da Bienal Internacional de Curitiba. Organizada pela fotógrafa Juliana Stein, a mostra exibe o trabalho dos participantes da “Oficina de Fotografia para Pessoas com Deficiência Visual”, voltada para deficientes visuais parciais ou totais, promovida pela Seção Braille da BPP.

As fotografias realizadas pelos alunos Adriana Barbosa, Isabel Bruck, Antônio Nunes, Anastacio Braga e Wagner Bittencourt são exibidas em braile e 3D. Além disso, são projetadas imagens dos bastidores das atividades, permitindo que os visitantes entendam o processo artístico das composições. Para participar do grupo, não é necessário possuir equipamento fotográfico, apenas um celular com câmera.

Alguns dos alunos da oficina e também expositores: Wagner, Isabel, Adriana, Antônio e Juliana Stein, fotógrafa no canto direito (Foto: Acervo da Biblioteca Pública do Paraná, julho 2017)

A ministrante da oficina Juliana Stein ressalta o trabalho desenvolvido há três anos. “Para enxergar, pode-se ir muito além da visão biológica, utilizando os próprios sentidos como aliados. As oficinas têm sido marcadas por riquíssimas trocas de ideias e experiências entre os participantes do grupo”, conta. Formada em Psicologia pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), Stein trabalha com fotografia desde o final dos anos 90 e seu trabalho já foi exibido em diversas exposições no Brasil e no exterior.

A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 20h, e aos sábados até as 13h. A mostra estará em cartaz até 30 de dezembro de 2017.

SERVIÇO
Exposição “Te empresto meus olhos”
Local: Hall térreo da Biblioteca Pública do Paraná (BPP) – Rua Cândido Lopes, 133, Centro — Curitiba, Paraná.
Período: 21 de outubro a 30 de dezembro
Horário: Segunda a sexta, das 08:30h às 20:00h | Sábados, das 8:30h às 13h
Entrada: Gratuita
Mais informações: (41) 3221-4917

 

 

 

 

Filme paranaense “TENTEI” recebe prêmio em festival nacional de Brasília

Por Amanda Correia, Ketlyn Nicole e Maria Beatriz Azzi

Setembro foi um mês especial para o cinema Paranaense. “TENTEI”, filme criado e dirigido no Paraná por Laís Melo, foi um dos 12 finalistas entre 608 produções inscritas para competir na 50ª edição Festival de Brasília do Cinema Nacional. A obra, que aborda a violência contra a mulher, foi premiada em três categorias da mostra competitiva de curtas nacionais: Melhor Filme; Melhor Fotografia (Renata Correa); e Melhor Atriz (Patricia Saravy). Pela relevância do tema abordado, a PartidA (movimento feminista iniciado em 2015), promoveu um CineDebate, no dia 20 de outubro, no estúdio Delirio, onde o filme foi exibido ao público curitibano pela primeira vez.

O evento que contou com cerca de 80 pessoas e realizou um debate após a exibição do curta. Estiveram presentes a diretora Laís Melo, a atriz premiada Patrícia Saravy e a jornalista e estudante de Direito Vanessa Fogaça Prateano, fundadora do Coletivo de Jornalistas Feministas Nísia Floresta e pesquisadora de violência contra a mulher no Núcleo de Criminologia e Política Criminal do curso de pós-graduação em Direito da UFPR (Universidade Federal do Paraná).  Continuar lendo

Alunas do Ensino Fundamental desenvolvem aplicativo contra assédio sexual

O projeto é desenvolvido para auxiliar na prevenção de abusos em locais públicos

Por Amanda Araújo, Douglas Rigamonte e Felipe Camargo

Na última semana (23/10), as estudantes Eduarda Rossi e Lara Prado do Colégio Positivo Júnior, em Curitiba, lançaram um aplicativo anti assédio com intuito de diminuir casos de violência sexual nos ônibus e na cidade. As alunas, que cursam o 9º ano do Ensino Fundamental, desenvolveram o projeto para participarem da 10ª edição da Mostra Soluções Para Uma Vida Melhor, realizado pelo colégio onde estudam. O intuito do evento é propor uma resolução para a sociedade em relação a um tema polêmico. Por este motivo, Eduarda e Lara escolheram o tema dada a relevância atual dele. Segundo dados da Polícia Civil do Paraná, uma mulher é assediada a cada cinco segundos no Brasil; no Paraná, a cada 11 minutos.

De acordo com a professora de língua portuguesa e orientadora do projeto, Claudia Morgenstern, a expectativa do aplicativo, denominado SOS People, é auxiliar as pessoas que sentem receio de se manifestar perante um caso de abuso. “Nós esperamos que esse aplicativo possa auxiliar aquela pessoa que é tímida, que não denuncia por medo. Porque de acordo com a delegada da Delegacia da Mulher de Curitiba, Sâmia Coser, apenas 1% das vítimas denunciam casos de assédio”, afirma a professora.

O SOS People ainda é um protótipo, que funciona a partir de um botão portátil conectado ao bluetooth do celular. Quando a vítima é assediada, tem a possibilidade de acionar o botão com um som forte similar ao de uma sirene para causar espanto ao infrator. Nos casos em que o criminoso está armado ou apresenta periculosidade maior, a vítima aciona o sinal silencioso que emite sua localização em tempo real para os familiares e amigos cadastrados no aplicativo, os quais podem contar com posição simultânea e solicitar a presença da polícia com maior agilidade.

sos

Desenho e prototipagem do SOS People (Foto: Claudia Morgenstern)

A possibilidade de contar com um aplicativo como este é vista com bons olhos para algumas mulheres, como é o caso da estudante de jornalismo Ana Lopes,  que destacou o mecanismo discreto e útil que pode fazer a diferença em situações de abuso. “A ideia do aplicativo é boa e muito útil, pois já sofri assédio várias vezes e tendo uma plataforma como essa ajudaria a colocar um freio na situação”, afirma. Agora, o projeto das meninas de Curitiba está concorrendo a uma vaga na Feira Brasileira de Ciências e Engenharias (Febrace), promovida pela Universidade de São Paulo (USP).

UTFPR Neoville recebeu mutirão da cidadania

Reportagem: Allyson Berger
Pauta e edição: Vivian Vieira

A Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado do Paraná realizaram, entre os dias 25 e 28 de outubro, o Mutirão da Cidadania da CIC (Cidade Industrial de Curitiba) na sede Neoville da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). A abertura do evento, que aconteceu na quarta-feira (25), às 19h, contou com a participação do reitor da UTFPR, Luiz Alberto Pilatti, do diretor-geral do Campus Curitiba, Cezar Augusto Romano, e do vice-prefeito e secretário de Obras e de Infraestrutura, Eduardo Pimentel. O mutirão reuniu uma série de serviços públicos, atrações culturais e de lazer gratuitos e obteve cerca de 40 mil atendimentos dos moradores dos bairros CIC, Augusta, Riviera e São Miguel.

Segundo Cristina Alessi, do setor de Comunicação Social da Prefeitura de Curitiba, um dos serviços mais procurados foi a emissão de carteira de identidade, feita pelo Instituto de Identificação da Polícia Civil do estado, que funcionou em horário estendido nos quatro dias de Mutirão. De acordo com Alessi, foram mais de 200 serviços gratuitos, como o encaminhamento para vagas de emprego, testes rápidos de sífilis, HIV e hepatites, cadastramento para rede estudantes para ensino e uma série de atividades culturais e de lazer. Além disso, a Secretaria do Meio Ambiente levou ações de educação ambiental e sensibilização, além de cadastros para participação no Programa Municipal de castração gratuita de animais.