Atitude de Herói – Novembro Azul, o mês da conscientização e prevenção do câncer de próstata

Eduarda Serrato Dallagrana

O mês de novembro é marcado pelo movimento “Novembro Azul”. A campanha a favor da saúde masculina tem por objetivo reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Ao longo do mês, são realizadas palestras, distribuição de materiais informativos, eventos, assim como a iluminação de monumentos, como o Cristo Redentor, o palácio do Congresso Nacional e o Monumento às Bandeiras com a luz azul. A doença, excetuando-se o câncer de pele não melanoma, é a segunda mais comum entre homens brasileiros.

No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer, diariamente, 42 homens morrem por consequência do câncer de próstata e aproximadamente 3 milhões vivem com a doença. De acordo com uma pesquisa realizada pela revista Saúde e o Instituto Lado a Lado pela Vida, efetuada em agosto de 2019 com 2.405 homens, a adesão do sexo masculino aos exames preventivos e a consultas ao urologista é inferior a 59%.

O envelhecimento masculino é um dos principais fatores de risco. Cerca de 62% dos casos diagnosticados no mundo ocorrem em homens com 65 anos ou mais. Devido a isso, sociedades médicas recomendam que indivíduos do gênero masculino com no mínimo 50 anos de idade façam o exame de próstata periodicamente, e a partir dos 40 anos, caso haja histórico da doença na família.

O Câncer

A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino. É uma glândula localizada na região pélvica do homem, logo abaixo da bexiga e à frente do reto, responsável pela produção de uma secreção fluida para nutrição e transporte dos espermatozoides.

As células cancerosas dependem do estímulo hormonal, provido de agentes estimulantes, como a testosterona (hormônio masculino), para se desenvolverem. A multiplicação descontrolada das células gera o tumor, que pode ser benigno ou maligno (câncer). O tumor benigno atinge aproximadamente 70% dos homens acima de 70 anos e é caracterizado pelo aumento da próstata apenas no local, logo o maligno, se espalha provocando metástases, afetando 16% dos indivíduos do sexo masculino. (Mais informações: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata)

O câncer de próstata, em sua fase inicial, não apresenta sintomas específicos e dispõe de um crescimento lento. Os primeiros sintomas, obstrutivos e irritativos, podem ocorrer durante o desenvolvimento local. Os sintomas obstrutivos surgem quando o tumor comprime a uretra, e os indícios são: diminuição do jato urinário, gotejamento após micção e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga. Quanto o tumor impede o fluxo de urina, os sintomas são irritativos, e verificar-se o aumento da frequência urinária, a urgência miccional e a incontinência urinária.

Posteriormente, pode ocorrer o desenvolvimento dos sintomas do câncer de próstata invadindo órgão vizinhos, como a bexiga e o reto. Os indicativos são: dor na pelvica, sangue na urina, inchaço escrotal, dor lombar e inchaço nas pernas. Nesses casos, a doença pode causar fraqueza, anemia e redução do apetite.

Diagnóstico e tratamento

Segundo o Ministério da Saúde, o diagnóstico do câncer de próstata é realizado exclusivamente através da biópsia da próstata. A análise efetuada por um urologista é feita por meio do toque retal e de dosagens sanguíneas de PSA, exames complementares no momento da identificação. A finalidade do procedimento do toque é verificar qualquer alteração na próstata, como o desenvolvimento de nódulos. Já o PSA é o marcador mais utilizado no auxílio ao diagnóstico da doença.

O principal tratamento do câncer de próstata é a hormonioterapia ou terapia de privação androgênica (ADT). O método consiste na privação de andrógenos (estimulantes do crescimento das células da doença) com o objetivo de diminuir o nível de hormônios masculinos no corpo.

O bloqueio hormonal auxilia no controle de sintomas, diminuição de dor óssea e aumento de sobrevida. Inicialmente, 90% dos pacientes respondem á ADT, mas enfrentam os diversos sintomas colaterais, como o ganho de peso, perda de massa muscular, ginecomastia (aumento de mamas), dislipidemia (alteração no colesterol), hiperglicemia (aumento do açúcar no sangue), fogachos (calorões), eventos cardiovasculares, entre outros.

É tempo de conscientização

Angelo Yamashita, 40 anos, é diretor e fundador de uma grande empresa de transporte de alimentos na cidade de São Paulo. Quando questionado sobre a importância em realizar o exame de toque retal para diagnosticar o câncer de próstata, Angelo comenta sobre a relevância em efetuar o procedimento. “É um exame fundamental e deve ser tratado como qualquer outro exame periódico solicitado pelos médicos em consultas de rotinas de check up”. O empresário convive diariamente em seu ambiente de trabalho com homens de todas as faixas etárias, para ele, ainda é notório nesse meio, o preconceito com os procedimentos preventivos da doença, como o exame do toque retal.  “É um tabu de uma sociedade ainda machista e desinformada”.

É necessário que o homem compreenda a importância de fazer os exames preventivos para a identificação do câncer de próstata na fase inicial. A realização do procedimento de toque retal é um sinal da preocupação do indivíduo do sexo masculino com sua saúde e com seus familiares. É uma atitude de herói. Previna-se.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s