Moradores e usuários reclamam da linha Ligeirão Santa Cândida/ Praça do Japão

Associação faz protesto contra a criação da linha – foto: Arandi Bezerra Júnior

Ana Leticia Fernandes Monteiro

Desde que o projeto da linha Santa Cândida/ Praça do Japão foi criado, acabou gerando diversas discussões e manifestações dos moradores e frequentadores da praça. O projeto, inicialmente paralisado, só conseguiu aprovação no final de 2017, e foi inaugurado em 28 de março.

Na primeira semana de funcionamento, a linha já gerou problemas de sinalização e abriu novas discussões. Uma delas é se o projeto foi criado para a melhoria do transporte ou apenas para trazer transtornos aos usuários, sendo duramente criticado após um acidente na região central de Curitiba em poucas horas desde que foi efetivado.

Além das inúmeras reclamações dos moradores, os usuários do Ligeirão acabaram não gostando da nova linha: “No dia em que esse ônibus começou a funcionar, estava um caos aqui no terminal, acabei me atrasando para minha aula do curso técnico e perdi uma prova importante. E agora, quem vai me dar declaração para poder fazer a prova? O prefeito? ”, diz a estudante de ensino técnico Gabriela Santos, de 18 anos.

Segundo a engenheira e urbanista Stella Maris da Cruz Bezerra, a história da praça acabou por ser esquecida quando pensaram em criar o projeto da nova linha.

Segundo ela, a praça tem uma história e diversas tradições, que foram ignoradas na realização do projeto. “Tudo foi feito na surdina, nada foi conversado com a associação de moradores, e isso é completamente inadequado”, afirma a urbanista, que conta ainda que o local está mal sinalizado e orientado, fazendo com que as pessoas reclamem por terem tomado ônibus errado por falta de informação dentro das próprias estações-tubo. “Uma obra assim não deveria nem ter saído do papel”.

O presidente da Associação de Pais e Mestres da Escola Santa Terezinha Coração de Jesus, Arandi Bezerra Junior, mantém a posição de que a estrutura, além de ser sido construída de repente, foi muito malfeita.

Segundo ele, a nova linha vai trazer transtornos para os usuários da praça e para as pessoas que estudam e trabalham na escola. Para Arandi, a linha liga “nada a lugar nenhum”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s