Fotografia curitibana ganha visibilidade no Instagram

Momentos retratados pelos seguidores do perfil @curitibacool com a hashtag #curitibacool

Katrina Sofia

A fotografia é a paixão de muitas pessoas. Ela transmite sentimento, movimento, eternidade, e é melhor ainda se você puder compartilhar com o máximo de pessoas possível.

Com o avanço da tecnologia, a interação de pessoas ficou muito mais fácil e o mundo adotou a postagem como parte de sua rotina. Diversos aplicativos foram criados incentivando pessoas a interagir e compartilhar experiências.

Um deles é o Instagram, criado em 2010, com especificidade em conteúdo de imagem, quem possui um perfil na conta do app é bombardeado por milhares de fotos a cada segundo todos os dias.

Curitiba não fica atrás quando o assunto é postar. É uma cidade linda com uma história incrível, com diversos pontos turísticos. É lógico que os curitibanos amam retratar e dividir seus momentos na cidade. Páginas de grande sucesso local ajudam a divulgar beleza e conteúdo.

A página @curitibacool é uma da mais seguidas da cidade, atingindo um total de mais de 80 mil seguidores é muito popular entre os usuários e recebe colaborações de conteúdo diariamente através da hashtag #curiticool.

Em entrevista, a fundadora Mariana Smolka, 30 anos, comenta: “A forma de viver os momentos têm dividido espaço com o constante interesse em dividir tudo com os amigos da rede. Uma ida à padaria, uma saída com amigos, um pôr do sol. As cenas mais cotidianas ganham enquadramentos e filtros especiais para ganhar espaço na internet”. Seu perfil tem 5 anos de atividade com cerca de mais de 600 mil fotos compartilhadas por sua hashtag.

A fotografia na rede cresceu tanto em visibilidade que hoje é usada de maneira intensa para fim comercial e incremento de propaganda. Até novas profissões aderiram a um perfil, como os influencers, que tomaram conta do feed para se promover ou para promover produtos e serviços.

Para Joel Rocha, fotógrafo há mais de 30 anos, esse fenômeno das postagens em massa no Instagram exige uma produção frequente e constante para quem é profissional. Isso faz com que o fotógrafo sofra uma certa pressão para mostrar um trabalho, e nem sempre ele tem para publicar. Segundo o fotógrafo, o marketing pessoal em excesso também é um revés.

Quando o ego é inflado, predomina a superficialidade sobre a mensagem. “O que era para mostrar o trabalho e discutir sobre, de repente perde o sentido por conta do ego, pois tudo fica superficial, acho isso uma desvantagem”, afirma Joel.

O Instagram se tornou uma fonte de muitas e boas referências em vários segmentos, não só da fotografia, como de outras diversas áreas de serviços.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s