Redefinindo a palavra opinião

#OPINIÃO

Por Caruline Rocha*

O significado da palavra opinião segundo o dicionário Aurélio, basicamente é: um modo de ver pessoal; juízo que se forma de alguém ou de alguma coisa; adesão pessoal ao que se crê bom ou verdadeiro. A primeira definição, um modo de ver pessoal, trata a opinião como algo íntimo, particular. A segunda segue a mesma linha, porém a terceira propõe a aceitação de um pensamento de outra pessoa. Ou seja, a opinião é o produto de um debate interno ou externo.

Segundo o blog “Marketing sem gravata”, o Brasil tem aproximadamente 139 milhões de internautas, os quais gastam em média 8h56min diárias conectados à rede. Consta ainda que 58% dos brasileiros utilizam redes sociais online, sendo 3h43min dispensados para estas. Diante de tanta interação com a word wide web, fica quase impossível o usuário não emitir a sua opinião em algum momento. Até porque os sites na internet pedem isso por meio de simples botões de curtir, gostar, compartilhar e outras vezes pedindo opinião através de comentários. 

Pode-se dizer que a internet é extremamente democrática. Com a era digital e a explosão das redes sociais, todo mundo parece ter ganhado voz nesse meio e emitir opinião se tornou algo banal e muitas vezes obrigatório. Com tanta informação sendo disseminada, o mundo virtual parece ter nos ensinado que temos que impor nossa opinião para tudo em qualquer lugar. Trouxemos da internet a ideia de que: “Se eu não tenho um opinião formada sobre determinado assunto, sou alienado e se eu tenho é porque sou ativista”. Ter opinião formada nos dá a percepção de nos sentirmos preparados para um debate, porém, não nos impõe o dever de debatermos o tempo todo.

Algumas pessoas se preparam para a guerra de opiniões diariamente. Elas acordam abraçadas ao seus smartphones absorvendo as notícias e postagens, nem sempre verdadeiras, como se aparamentassem suas armas com munições suficientes para o dia D. Ao se depararem com uma opinião contrária, o estopim da guerra é aceso e não importa quem está do outro lado das trincheiras, muitas vezes essa guerra é deflagrada contra um amigo, um colega de trabalho, ou até mesmo alguém da família.

Às vezes, a impressão que se têm é que as pessoas buscam uma nova definição para a palavra opinião, na qual ela seja mais ampla e contemple outras possibilidades, tais como: ordem de autoridade superior; estipulação; determinação, (atualmente usada para definir imposição). Ou talvez busquem uma maneira de assassinar o significado da palavra opinião praticando um crime perfeito, sem deixar vestígios, pois quando se impõe uma opinião em detrimento de outra, ela passa a assumir uma função destinada a outra palavra: “verdade”. Pois, assim se busca um denominador comum para um assunto e a outra opinião torna-se a mentira.

No final do dia, após assassinar a opinião de alguém, muitos voltam para suas redes sociais, sentindo-se vitoriosos e com seus direitos de opinar garantidos pela democrática internet. Contraditoriamente, ainda postam a célebre frase: “…mais amor, por favor!”.

*Estudante de Comunicação Organizacional na UTFPR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s