O peso da decisão: maturidade e a escolha da carreira profissional

#OPINIÃO

Por Alessandra Stahsefski, Giulia Gaio e Juliane Fürbringer*

Todos os universitários já passaram pela temida fase do vestibular. Foram horas de estudos, fim dos feriados e descansos, atenção aos calendários e prazos, ansiedade, indecisão, concorrência e outras preocupações que surgem especificamente nessa época. Alguns de nós passaram por isso apenas uma vez, enquanto outros passaram mais tempo estudando para os temidos vestibulares. Finalmente, chega o dia em que encontramos nosso nome no meio de tantos outros aprovados e a alegria toma conta do momento. Deixamos de ser vestibulandos e passamos a ser universitários e, logo de cara, já criamos novas expectativas. Muitos começam a se questionar se aquele é mesmo o curso que queriam e se a faculdade é como imaginavam. Em algum momento, todos nós nos surpreendemos, seja de forma positiva ou negativa, com o surgimento de mais dúvidas e incertezas. É um momento marcante e de extrema importância, mas será que vale a pena toda essa preocupação?

Cada vez mais cedo os estudantes sofrem com a pressão, imposta pela sociedade de forma geral, em relação às cobranças com a graduação e decisão de qual área seguir carreira. Os jovens e adolescentes passam por todo o ensino fundamental e médio com dúvidas e preocupações sobre o que fazer, o que acaba refletindo e influenciando em possíveis mudanças no comportamento e na rotina desse público. Problemas de ansiedade e depressão são as principais queixas dos alunos que passam tempo se dedicando para este momento. É claro que nem todos sofrem com o fato de se dedicar exclusivamente aos estudos antes de ingressar na faculdade, mas a grande maioria já passou por alguma situação de nervosismo ou preocupação. Segundo dados divulgados em fevereiro deste ano pela OMS (Organização Mundial da Saúde), o número de pessoas com transtornos de ansiedade teve um aumento de 14,9% em relação ao ano de 2005, totalizando em 264 milhões de pessoas ao final de 2015. Nesse percentual, há adolescentes, jovens e adultos, porém é um número importante quando se trata do quanto a ansiedade vem aumentando cada vez mais na sociedade, o que consequentemente afeta a vida acadêmica.


A entrada prematura na universidade não causa apenas frustração mas, também, leva o universitário a repensar se não seria melhor optar pela mudança do curso. Muitas vezes, o aluno permanece na faculdade escolhida, mas a imaturidade de lidar com as dificuldades que vão surgindo pode afetar seu interesse em prosseguir com as disciplinas de maneira séria e objetiva. Ter maior maturidade e compreendimento sobre a responsabilidade em se dedicar a vida acadêmica, fazem a diferença no futuro dos jovens, pois o estudante que conduz a graduação com seriedade terá grandes chances de se destacar no mercado, além de se tornar um bom profissional na carreira escolhida, absorvendo conhecimento e evoluindo ao longo do tempo.

A escolha pelo caminho a ser trilhado profissionalmente representa uma grande decisão, pois significa como um indivíduo pretende se inserir e contribuir com a sociedade em que vive. O sucesso nessa escolha garante grande parte da realização pessoal na vida adulta, por isso, tomar tal decisão necessita de maturidade, segurança e autoconhecimento. De certa forma, são valores que a maioria dos jovens ainda estão na fase de desenvolvimento, já que normalmente estão passando pela fase da adolescência média, que segundo pesquisadores, vai dos 15 aos 17 anos.

Como citado em matéria do site “Mega Curioso”, é durante essa fase que o adolescente começa a atingir o desenvolvimento pleno, tanto da forma psíquica como também, em relação aos hormônios, resultando na formação de sua identidade. Isso embasa a ideia de que tal decisão deve ser tomada após esse processo de desenvolvimento do adolescente. Para comprovar, dados divulgados pela BBC de Londres mostram em uma série de pesquisas que a adolescência pode chegar aos 25 anos de idade, ou seja, o desenvolvimento do cérebro e da personalidade do indivíduo pode ir muito mais além da idade estabelecida. Optar por escolher qual carreira seguir com mais idade pode garantir uma confiança e segurança maior à qualquer pessoa. Tomar decisões com base nas próprias experiências adquiridas ao longo do tempo podem ser mais assertivas. Além disso, ajuda na redução da pressão e de transtornos de ansiedade que a maioria dos adolescentes sofre nessa época.

Referências
Programa Bem estar. Site. Disponível em: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/depressao-cresce-no-mundo-segundo-oms-brasil-tem-maior-prevalencia-da-america-latina.ghtml

Mega Curioso. Site. Disponível em: https://www.megacurioso.com.br/medicina-e-psicologia/39193-nova-orientacao-para-psicologos-diz-que-adolescencia-vai-ate-os-25-anos.htm

*Estudantes de Comunicação Organizacional na UTFPR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s