Centro Acadêmico de Radiologia da UTFPR promove evento sobre câncer de mama

Pauta: Giulia Gaio
Redação: Alessandra Stahsefski
Edição: Juliane Fürbringer

Neste mês, na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), o Centro Acadêmico de Radiologia, junto com a professora Kátia Prus, e o Programa CIMCO (Comunidade Integrada na Multiplicação de Conhecimentos), promoveram o evento “Outubro Rosa e a Saúde da Mulher”, que abordou o câncer de mama e sua prevenção. A atividade contou com a participação de várias palestrantes, muitas delas compartilharam suas experiências pessoais com a doença.

A organizadora do evento, Kátia Prus, formada em enfermagem e professora do curso de radiologia na universidade, relata que a ideia de promover o evento surgiu dentro da sala de aula ao conversar sobre o tema com suas monitoras. Elas entraram em contato com a AAMA (Associação Amigas da Mama) e também com o Centro Acadêmico de Radiologia, que segundo a professora, “abraçou a ideia”. O CIMCO é um programa institucional de saúde que existe em todas as sedes da UTFPR e tem entre seus objetivos promover, tanto para os alunos quanto para os colaboradores, debates e discussões sobre doenças e suas prevenções. Em cada mês, um tema é abordado pelo programa e, neste, o foco foi o câncer de mama. Kátia Prus afirma que apesar do tema tratar dos cuidados que toda mulher deve ter, a intenção do evento foi compartilhar conhecimentos também aos homens, que necessitam entender a gravidade da doença.

Pricila Cordeiro Messias, formada em radiologia pela UTFPR, trabalha há nove anos com mamografia e afirma a importância de se desenvolver palestras e discussões para que não se tenha uma ideia muito superficial a respeito do tema. Segundo ela, antes das pessoas se informarem sobre o exame da mamografia, devem saber a importância dele ser realizado. “É uma doença que tem um bom prognóstico, se for detectada logo no início”, declara.

Laura Machado e Daniele Banzzatto, da AAMA, relataram sobre o apoio que a associação oferece não só às pessoas que sofrem com o câncer de mama, mas, principalmente, com os familiares e amigos próximos que também precisam aprender a lidar com a doença. Laura, que atua como psicóloga, afirmou que é realizado um trabalho de acolhimento para que a pessoa se sinta à vontade. “A maioria das mulheres precisa de um espaço para se sentir acolhida, porque na maior parte do tempo precisam se manter forte perante a família. Já atendi paciente que relatou que só precisava de um espaço pra chorar”, narra a psicóloga. Daniele, advogada de formação e agora voluntária dentro da associação, relata a importância de ajudar as pessoas a buscarem seus direitos quando passam por um momento difícil. Segundo ela, que já teve o câncer de mama, informações e instruções claras podem ajudar as mulheres a lidar com a doença.


thumbnail_IMG_6669

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s