A imprudência no trânsito e suas sequelas permanentes

#OPINIÃO

Por Joyce Franco

Todo dia, nós vemos notícias sobre acidentes de trânsito. Seja na televisão, na internet ou em nosso bairro, isso é tão frequente que não causa mais impacto, até que acontece com alguém próximo a nós. A questão é que esses acidentes não deviam ser comuns, não deveríamos ter medo de beber e dirigir por perder a carteira de habilitação ou sermos multados, mas sim pela vida das pessoas que morrem diariamente em função dessas imprudências. Os acidentes de trânsito têm sido uma das maiores causas de morte no mundo, segundo o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), mais de 40 mil pessoas morrem por ano e cerca de 204 mil pessoas ficam feridas no país.

Enquanto a frota de veículos cresce diariamente, a cada dez minutos uma pessoa morre envolvida em acidentes de trânsito no Brasil, além disso, inúmeras ficam com sequelas graves. No ranking dos países que mais matam no trânsito, o país está em quinta posição, em 2015, o DPVAT pagou 42.500 indenizações por morte no país e 515.750 pessoas receberam amparo por invalidez. Em virtude disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incentiva os países a fazerem ações de prevenção, e conscientizar os cidadãos sobre a gravidade deste tema. 

Após 2012, ano em que a lei seca foi ajustada e houve mais fiscalização, a quantidade de óbitos por acidentes de trânsito diminuiu de 44.812 para 42.266, em 2013, conforme ilustrado no gráfico abaixo. O número que não parece significativo foi o primeiro passo para ter estradas mais seguras, a questão é, será que só por meio da legislação e de punições podemos reduzir as fatalidades do trânsito? Existe uma demanda por educação no trânsito, as pessoas precisam se importar com a sua vida e a de inúmeras pessoas que circulam diariamente pelas vias brasileiras, e a melhor alternativa para evitar a perda de tantos cidadão, seria respeitar as regras de tráfego.

transito

FONTE: http://www.vias-seguras.com/os_acidentes/estatisticas/estatisticas_nacionais

Em maio deste ano o Detran-PR promoveu o Maio Amarelo, um mês de conscientização no trânsito, durante esse período, ocorreram palestras, atividades conjuntas com as prefeituras e entidades da sociedade civil nas 101 unidades do Detran no estado do Paraná, assim como caminhadas pela vida. Outro projeto foi em parceria com a Pontifícia Universidade Católica PUC-PR no auxílio psicológico a vítimas e familiares. O intuito aqui não é falar sobre essas organizações, e sim salientar a necessidade de que mais pessoas e organizações se mobilizam em relação a prevenção e educação no trânsito.

O uso de veículos automotores facilitam a nossa vida em muitos aspectos, porém é necessário ter responsabilidade para conduzi-los. Se não houver, o veículo pode se tornar uma arma. Todo os fins de semanas que eu saio à noite, vejo pessoas dirigindo e segurando uma bebida alcoólica, inclusive amigos meus amigos. É importante destacar que 15% dos acidentes de trânsito no país são causados pelo consumo de bebidas alcoólicas. Até quando nós enquanto sociedade vamos ter que esperar coisas ruins acontecerem para evoluir? Empatia pelas 136 famílias que diariamente perdem alguém nesses tipos de acidente já é um bom incentivo para dirigir de forma responsável.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s