Ciclo de estudos na UFPR aborda protagonismo negro

Evento é espaço de formação e exposição de conhecimento com foco em protagonistas negros na área de tecnologia

Por César Cruz

Em junho, foi dado início ao segundo módulo do 1º Ciclo de Estudos Negros da Universidade Federal do Paraná (UFPR). No dia 03, foi abordado o tema “Tecnologia e Relações Raciais”, com a participação do professor Carlos Eduardo Dias Machado, mestre em História pela Universidade de São Paulo (USP). O palestrante, que também trabalha na rede pública municipal, falou sobre “Ciência, Tecnologia e Inovação Africana e Afrodescendente”. Organizado pelo Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB) da UFPR, e pelos coletivos Frente Negra e  Alguém Te Perguntou? (ATP), o ciclo debateu sobre “Tecnologia e Trabalho” no último dia 17 e abordará “População Negra e Mercado de Trabalho” no dia 01 de julho, sábado, às 8h, no Auditório de Administração do Centro Politécnico da UFPR.

Em sua fala, o professor Carlos Machado mostrou resultados de um estudo aprofundado, que virou livro, sobre as genialidades da humanidade. A obra destaca criações e invenções feita por pessoas negras que buscaram representatividade na sociedade. O professor ainda destacou os estudos sobre essa representatividade negra na tecnologia, bem como nas demais ciências. Segundo ele, “a ciência africana foi oculta há mais de 500 anos na ideia de hierarquia na construção de raça, em que o homem branco e heterossexual está no topo e quem é mulher, ou de outra etnia, está abaixo”.  Nesta perspectiva, somente o branco produz tecnologia e inovação, outras populações não produzem nada.

Professor Carlos Machado UFPR

Prof. Carlos Machado, convidado para ministrar primeira palestra do ciclo em julho (Foto: Divulgação)

Machado disse ainda que o povo negro entrou na história como prisioneiro de guerra e escravizado. “A gente foi desqualificado desse processo. Até hoje, somente somos elogiados quando estamos em cargos de visibilidade, mas estereotipados, como jogador de futebol ou cantor de samba/pagode ou funk”, afirma.

Watena Ferreira (24), cotista racial no curso de Engenharia Mecânica da UFPR e também um dos organizadores do evento, fala sobre a importância de se estudar Relações Raciais como ciência e dos ciclo de estudos negros na universidade. “Falar sobre relações raciais em todas as áreas do conhecimento e o seu devido estudo dentro da academia é essencial, já que é de fundamental esse debate na formação profissional e pessoal dos estudantes. Assim como o relacionamento, que a universidade mantém, com a comunidade externa e áreas do setor público”, declara o estudante.

As inscrições para palestra no dia 01 de julho são gratuitas e podem ser feitas online por meio da fanpage do ciclo no Facebook ou no Auditório de Administração do Centro Politécnico da UFPR, local do evento. O evento totaliza certificado de 12h complementares aos participantes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s