Virada Filosófica: mais de 40 horas de reflexão em Curitiba

Tiago Correia (*)

Teve fim neste sábado (27) a Virada Filosófica 2016, evento organizado pelo Grupo de Estudos em Filosofia e Ensino de Filosofia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) em parceria com várias instituições, que espalhou por Curitiba uma gama de atividades relacionada à filosofia.

O evento, que acontece desde ontem, contou com um público bastante expressivo e diversificado que se mostrou satisfeito com a qualidade das atividades oferecidas, lamentando apenas algum contratempo na organização.

A noite de sexta-feira (26) foi marcada por atividades no Portão Cultural. A palestra proferida pelos professores Leandro Cardin e Benito Maeso, A Utopia da Síntese, refletiu sobre o tema norteador do evento que é a utopia, ligando-o à arte e literatura. A  mestre em filosofia Monica Castro, que participou dessa atividade, disse: “O evento está nota 10 e deveria se repetir mais vazes, principalmente nesse momento de crise política que vive o Brasil no qual as pessoas têm de ter espaços para pensar sobre o que está acontecendo.”

virada filosófica 3

Professores Benito Maeso e Leandro Cardin

A sexta-feira encerrou-se com a projeção do filme Terra em Transe, obra do cineasta brasileiro Glauber Rocha que, de forma dramática, retrata a conturbada vida política na ficcional Eldorado. O filme, de 1967, foi contextualizado e discutido pelos professores Walter Menon e Paulo Vieira Neto que analisaram junto ao público os aspectos estéticos da obra, bem como sua transposição para interpretação do Brasil atual.

virada filosófica 4

Professores Walter Menon e Paulo Vieira Neto

Na manhã desde sábado os trabalhos foram abertos às 9h horas na Capela Santa Maria, onde uma mesa redonda reuniu especialista em filosofia e educação e representantes políticos em uma conversa sobre a lei 15.228/06 que trata da obrigatoriedade do ensino de filosofia no Ensino Médio.

virada filosófica 5

Eduardo Barra, Emmanuel Appel, Ângelo Vanhoni,  Eliezi Silva, Jairo Marçal e Gleisson Schimit

Já no prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR) ocorrem sete oficinas tratando dos mais diversos temas. A professora Andrea Kominek, que mediou a oficina Ontologia negativa do ser negro, comentou a importância do evento. Segundo ela, a Virada Filófica “mostra que a filosofia faz parte da nossa vida, que não é uma coisa distante ou só acadêmica, mas que é fundamental ser aberta e discutida por todos”. Michele Stadler, estudante de dança, participou da oficina Como pode expressar-se um corpo? Articulações entre filosofia e dança e comenta: “Gostei bastante da oficina, que realmente fez uma ligação entre filosofia e dança e, de forma muito prática, nos fez pensar o corpo.”

virada filosófica 6

Oficina: Como pode expressar-se um corpo? Articulações entre filosofia e dança

virada filosófica 7

Oficina na UFPR

A palestra de encerramento aconteceu no Teatro da Reitoria da UFPR e ficou por conta do especialista em Thomas Morus, professor Carlos Berriel da Universidade de Campinas, tratando da importe obra desse filósofo inglês, Utopia. O livro completa 500 de publicação em 2016 e o palestrante o contextualizou não só historicamente – fazendo paralelos com os acontecimentos políticos, religiosos e da própria biografia de Morus – como também situou o escrito em sua tradição intelectual, fazendo referências a outras obras e autores. Por fim ressaltou os aspectos principais da utopia, esclarecendo que quem dá origem a este termo é Thomas Morus e que, embora o filósofo use de uma analogia neste livro criando um cidade utópica com o governo perfeito, suas intenções são pensar na política real.

virada filosófica 8

Palestra de encerramento

Lucas Melniski, estudante de física na UTFPR, atuou na comissão de apoio ao evento e disse que se voluntariou por acreditar que a Virada Filosófica é de fato importante. Embora ele tenha contado com a filosofia na universidade, acredita que esta abertura para a comunidade  faz com que as pessoas se interessem pelos tema. Jackeline Teixeira, estudante de Ciências Sociais na UFPR, também afirmou que a relevância do evento foi o motivo pelo qual ela se voluntariou e que o trabalho de organização das oficinas foi bem intenso na manhã desse sábado.

(*) Estudante de Comunicação Organizacional da UTFPR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s