Exposição “Preconceito: até aonde vai o seu?” tem início na UTFPR

Hugo Oliveira (*)

Com enfoque nas pessoas em situação de rua, teve início no dia 30 de maio a Exposição ‘Preconceito: até aonde vai o seu?’ realizada a partir do projeto Ciranda de Rua. A mostra, que permanece até o dia 3 de junho na Sala de Exposições do Câmpus Curitiba da UTFPR, é uma iniciativa de alunas de Psicologia da FAE que expõem, entre outras obras, fotografias, desenhos, cartas e depoimentos de pessoas em situação de rua. O projeto desenvolveu ainda um documentário, que será apresentado no miniauditório da própria Universidade Tecnológica amanhã (1° de junho) às 19h30.

A exposição busca sensibilizar para uma série de pontos como: a humanização necessária das pessoas em situação de rua; o enfoque no indivíduo para quem se encontra em tal posição; o preconceito e violência pelos quais passam e uma ressignificação, não apenas dos termos pejorativos utilizados para indicá-los, mas de todo o conjunto que representam. Várias das fotografias expostas mostram pessoas em situação de rua segurando cartazes com diversas frases fortes que reúnem pensamentos e emoções deles próprios.

exposição preconceito

Foto: Silvana Rocha

Uma das grandes pautas que se apresenta é muitas vezes deixada de lado quando se pensa na situação dos que estão desabrigadas, como diz a professora Silvana Rocha, do Departamento de Matemática da UTFPR: “Gostaríamos de pautar com esse debate a necessidade dos banheiros públicos, por exemplo”. Ela conta que o acesso a outras necessidades básicas, como alimentação e vestimenta, de uma forma ou de outra são minimamente atendidos. Por outro lado, pela falta de banheiros, essas pessoas têm de fazer suas necessidades no chão ou nas próprias roupas.

exposição preconceito1

Foto: Hugo Oliveira

“Eles afirmam: ‘eu não sou um coitadinho’”, diz a Silvana, ressaltando que esta população quer respeito. Além de coordenar a mesa de debate que ocorrerá em conjunto com a exibição do documentário, ela também se disponibilizou a passar parte do período da exposição conversando com os visitantes. Silvana critica o senso comum que se tem em relação às pessoas em situação de rua: “Há uma mentalidade de ‘os tire daqui’”, e sugere políticas públicas para a melhoria da condição de vida destes indivíduos.

(*) Estudante de Comunicação Organizacional da UTFPR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s