Projeto Redução do Estresse tem início na UTFPR

Erick Martinez Zanini (*)

Estresse, doenças crônicas e dinâmica de grupo­ foram tópicos abordados pela psicóloga e antropóloga  Susan Andrews em palestra a estudantes, professores e servidores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) na noite de última quarta-feira (27). O evento marcou a abertura do projeto de pesquisa Redução do Estresse e Desenvolvimento da Empatia para Protagonismo e Desenvolvimento Sustentável (Redeped), realizado pela UTFPR em convênio com a ong Instituto Visão Futuro, coordenada por Susan Andrews.

A abertura contou com presença do diretor do câmpus Curitiba, professor Cezar Augusto Romano. Na ocasião, Romano destacou que, para ele, a vida é um eco, argumentando sobre a importância do encontro da tecnologia com o humanismo. O diretor do câmpus apresentou aos alunos e servidores participantes do projeto a doutora Susan Andrews. Psicóloga e antropóloga pela Universidade Harvard (EUA), ela é fundadora do Instituto Visão Futuro, localizado em Porangaba, São Paulo.

Durante o encontro, Dra. Andrews contou sobre a parceria do Instituto com o Departamento Científico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo para criação do programa de Redução do Estresse e Desenvolvimento da Empatia na Medicina (Redemed), o qual foi estendido para todos os campi da Universidade. Em seguida, a palestrante apresentou a teoria fisiológica do processo causador do estresse e como os níveis altos de cortisol, hormônio liberado pela glândula suprarrenal, provoca doenças crônicas como: diabetes tipo dois, hipertensão, infarto e entre outras.

Com explicações teóricas, Dra. Andrews mostra que a sociedade atual lida com um excesso de informações e com a competitividade que eleva o estresse. Com diversas técnicas de meditação, aprofundando o conhecimento sobre o sistema nervoso simpático e sistema nervoso periférico, ela defendeu que aumentando a oxigenação do cérebro, o corpo relaxa mais. Através da resposta de relaxamento, permite conhecimentos para o desenvolvimento de capacidades de gerenciamento de estresse, de empatia, de escuta e de controle emocional.

Segundo a Dra. Andrews, a vida dos universitários é difícil, com um cotidiano cheio de escolha. Os jovens cada vez mais cedo estão no mercado de trabalho ou enfrentando vestibulares, provas, projetos e acabam com uma sobrecarga alostática. Assim, o Instituo decidiu expandir o projeto pioneiro desenvolvido nos cursos de medicina da USP para a UTFPR, contando com o apoio da seção local da ong. O curso oferece 70 vagas na primeira etapa, que incluirá ainda outros cinco encontros nesse semestre, além de contar com outro grupo para o segundo semestre desse ano.

(*) Estudante de Comunicação Organizacional da UTFPR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s