A universidade fora da sala de aula: atléticas

entidade - atleticas

Gabriel Vieira (*)

Provas, pesquisas, seminários, trabalhos de campo e mais uma infinidade de atividades que são passadas dentro de sala de aula. Isso é a universidade? Sim, mas não é somente isso. A vida universitária vai bem além do que se aprende dentro de sala de aula.

Fizemos um levantamento das principais atividades que a comunidade acadêmica oferece aos seus alunos e buscamos descrever um pouco quem elas representam, o que fazem e como podem fazer parte de cada uma. Durante o mês de julho, vamos fornecer dicas e informações para melhor divulgar essas entidades.

AAA – Associação Acadêmica Atlética

Mais conhecidas pelos alunos, as atléticas representam os estudantes de determinados cursos dentro e fora do Estado em competições esportivas, duelos de baterias universitárias, duelos de cheerleader, entre outros. Na UTFPR-CT hoje temos a presença de quatro exemplos que se enquadram nessa modalidade.

AAADEC – Associação Acadêmica Atlética de Design e Comunicação

Oriunda da antiga AAASMA (AAA Sergio Malandro), a AAADEC foi fruto de uma renomeação da entidade que ocorreu em fevereiro de 2015, mas sem perder força. Já completou quatro anos de representação dos cursos de Tecnologia em Comunicação Institucional, Comunicação Organizacional, Design e Tecnologia em Design Gráfico.

Com equipes em mais de dez modalidades diferentes, a atlética compete em dois jogos universitários ao longo do ano. Além da parte esportiva, também organiza de 3 a 5 eventos durante o ano, desde festas noturnas até campeonatos de futsal.

O estudante Aldebaran Campos, de 23 anos, ex-presidente da associação, destaca a importância em participar de uma entidade como essa para ter um crescimento profissional. Ele cita que graças à experiência que teve conseguiu uma vivência para compreender o mercado de trabalho em que atua, aprendeu o real significado de trabalho em equipe e desenvolveu espírito de liderança.

Todo início de semestre é realizado um processo seletivo, no qual os alunos interessados em entrar para o grupo de organizadores das atividades se candidatam e passam por diversas etapas, podendo ou não ser selecionados para integrar a diretoria.

AAAA – Associação Acadêmica Atlética de Administração

Os Metralhas, apelido dado para a AAAA, apesar de relativamente novos no cenário, já figuram entre os grandes dos cursos de Administração em Curitiba. Próxima de completar dois anos de fundação em agosto, a atlética divide suas atividades em cinco frentes: esportes, ações sociais, eventos, mídias e financeiro. Com a média de um evento a cada dois meses, os alunos mantêm as atividades funcionando anualmente, além das ações sociais que podem chegar até 5 por ano.

Para entrar na associação os candidatos também devem passar por um processo seletivo, candidatando-se a ocupar os cargos de acordo com a demanda existente.

Para Juliana Przybyszewski, de 20 anos, vice-presidente da instituição, a atlética deve ser vista pelos seus membros como uma verdadeira empresa, que possui uma responsabilidade para o alcance de bons resultados.

“Ela acaba auxiliando muito na formação dos alunos de Administração, pois ali é aprendida na prática a teoria vista em sala de aula, como o trabalho em grupo, liderança, planejamento, organização, controle de gastos e despesas”, afirma.

Juliana também acredita que para uma graduação de qualidade é muito importante a participação de atividades fora de sala de aula. Elas possibilitam o acúmulo de competências na área social, relacionamento com pessoas e aquisição de experiências que contribuirão para o futuro profissional do acadêmico.

AAAEA – Associação Acadêmica Atlética de Engenharia e Arquitetura

Com quase 6 anos de existência, que serão completados no próximo dia 28 de agosto, a já bastante conhecida Avalanche, representa todos os alunos de Engenharia e Arquitetura da UTFPR, que somam sete cursos no total.

O Urso, nome alternativo devido ao seu mascote, possui representatividade em onze modalidades esportivas, possuindo alto nível nas equipes de atletismo, handebol masculino e vôlei de ambos os gêneros, que foram decisivos nas conquistas de dois vices no Engenharíada Paranaense (jogos que reúne mais de 20 atléticas do estado inteiro) e o título de Campeã da única edição do JOCA (Jogos da Capital – torneio que reuniu as principais atléticas de Curitiba) em 2013.

Com grande preocupação social, a atlética realiza anualmente 6 ações beneficentes e com constante busca para inovar a maneira de ajudar sociedade. Bateria universitária e equipe de cheerleader também estão presentes dentre as atividade da Avalanche, ambas não possuem processos seletivo para participar, basta apenas ter real interesse e compromisso com os ensaios e apresentações. O mesmo vale para participar da diretoria da atlética, os interessados entram como estagiários e após entender como tudo funcionar, decide com qual área quer se envolver a fundo.

Leonardo Oliveira, de 22 anos, diretor de Marketing e Publicidade do Urso, a oportunidade melhorou seu comportamento profissional, salienta que existe uma estrutura com cargos, subdiretorias, hierarquias, prazos, tudo que uma empresa possui mas com um clima descontraído.

“Meu salário é a satisfação de ver meu trabalho fazendo a diferença numa organização, e sentir isso ainda mais forte vendo resultados de semanas de trabalho em equipe”, diz o estudante.

Além de todo o conhecimento a ser aprendido na atlética, Leonardo diz que usa a entidade também como uma forma de dar aquela respirada nos estudos quando necessário.

AAAE-SPORTS – Associação Acadêmica Atlética de Esportes Eletrônicos

Sim! Para aqueles que sempre desejaram participar de uma atlética, mas nunca se identificaram com esportes físicos, baterias, cheerleader ou qualquer outra atividade de uma atlética tradicional, os alunos da UTFPR de forma pioneira a nível nacional, criaram a primeira atlética voltada para os esportes eletrônicos no Brasil. Criada em abril deste ano, seus fundadores se inspiraram em outras entidades de fora do país, e buscam incentivar a práticas de jogos online e representar os alunos de toda a universidade em campeonatos do gênero.

Ainda em fase de estruturação, já possuem um evento de grande porte na cena curitibana, é o Mega Gamer, que é utilizado principalmente para fomento da infraestrutura necessária e também para a seleção de membros para a associação.

Ainda não possuem um processo de seleção estabelecido devido ao pouco tempo de atividade, mas mesmo assim os planos para a entidade demonstram que será muito promissora no ramo.

Rúben Salomão, fundador e atual presidente da E-Sports acredita que a participação em atividades desse estilo fora de sala de aula auxilia bastante na formação acadêmica, pois fornece oportunidades de organizar entidades, promover eventos, conduzir equipes e assumir responsabilidades que envolvem tomadas de decisão.

Podemos perceber que para todos os universitários que participam dessas organizações, o sentimento é semelhante, adquirem afinidade com as entidades e acima de tudo crescem profissionalmente, pessoalmente e academicamente em diversos pontos que não teriam a oportunidade dentro de sala de aula.

Conheça mais sobre as instituições e caso se identifique, participe ativamente!

AAADEC

Os Metralhas

Avalanche

E-Sports

(*) Aluno do CTCOM-UTFPR.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s