1º Festival “Sabores Pé Vermelho” homenageia os 80 anos de Londrina

Jéssica Pizza (*)

Evento é uma oportunidade para provar pratos exclusivos a baixo custo. Foto: Jéssica Pizza.

Evento é uma oportunidade para provar pratos exclusivos a baixo custo. Foto: Jéssica Pizza.

Nesta quarta-feira (10), a cidade de Londrina completa 80 anos. Para comemorar a data, o Blog Baixa Gastronomia Londrina realiza primeira edição do Festival Sabores Pé Vermelho, que conta com uma rota gastronômica durante todo o mês com pratos, lanches, bebidas e sobremesas por até R$ 30.

Idealizado pelas jornalistas Maria Eduarda Oliveira e Tatiana Ribeiro, o blog foi criado há quase dois anos. As blogueiras não fazem publicidade ou permuta com nenhum estabelecimento e só postam no blog o que realmente recomendam. Em uma reunião, surgiu a ideia de realizar algo que agitasse a cena gastronômica de Londrina e, com base em festivais em que os pratos são comercializados a valores mais acessíveis, como o Restaurant Week, criaram o Festival Sabores Pé Vermelho.

O Festival tem como propósito desmistificar a chamada alta gastronomia, levando diversos tipos de comida com um preço baixo ao público. Além disso, o evento busca contribuir na formação de uma identidade gastronômica da cidade e da região, incentivando a pesquisa dos ingredientes típicos, hábitos alimentares e resgatando um pouco da história do Norte do Paraná dentro desta área.

Maria Eduarda explica que diversos bares e restaurantes foram convidados a participar do Festival. “Na proposta, explicamos que deveria ser criado um prato que fizesse homenagem a Londrina com o valor de até R$ 30. Depois de obter a resposta dos restaurantes, fomos aos locais experimentar os pratos e conhecer melhor a história deles, como foram criadas as receitas e as respectivas inspirações”, relembra a jornalista.

Ao todo, são 19 bares, restaurantes e cafés participantes e os pratos e combinações foram desenvolvidos exclusivamente para o festival, com a intenção de celebrar os sabores e riquezas provenientes da terra vermelha. Os pratos têm desde coxinha, café, passando por tapioca, tiramisú, risoto e macarrão, até a clássica tubaína para acompanhar um pão com mortadela e relembrar o passado.

Clássico prato nordestino, a tapioca recebe um toque paranaense. Foto: Jéssica Pizza.

Clássico prato nordestino, a tapioca recebe um toque paranaense. Foto: Jéssica Pizza.

O Café 70 é um dos estabelecimentos participantes do festival com o prato Tapioca Café 70, um clássico nordestino com toque paranaense. Com uma massa fina e crocante, a tapioca é hidratada com café e leva doce de leite suave e chocolate meio amargo no recheio. O valor do prato é de R$7,90.

A professora de biologia Mariana Cristina da Silva soube do Festival por meio de uma amiga e resolveu provar a tapioca do Café 70. “O prato é bem característico do Norte Paranaense e tem um preço bem acessível. Acho que deveria entrar para o cardápio porque valoriza a cultura, além de ser um prato delicioso – especialmente para os apreciadores de café”, conta.

 

19 bares, restaurantes e cafés participam do festival com pratos e combinações exclusivas para o evento. Foto: Divulgação.

 

Já o prato participante do Coisas Que Te Ajudam a Viver se chama Penne Londrina, um macarrão com alho poró, alho japonês, tomatinho rasteiro, queijo e camarões por R$ 19,90. A idealizadora do prato e proprietária do café, Silvia Sitta, é descendente de italianos que colonizaram a cidade na década de 30 e harmonizou o Penne Londrina com a mistura de massa e legumes – alimentos que não eram uma tradição brasileira quando a cidade estava nascendo. No fim das contas, a receita acabou remetendo a várias gerações da família, já que o camarão junto dos legumes é um costume dela e do marido, que lembra a infância dos filhos.

Silvia diz estar impressionada com as vendas. “Muitos pratos já foram vendidos e também temos recebido muitas ligações a respeito do Festival.” Ela ainda parabeniza as idealizadoras: “A Maria Eduarda e a Tatiana tem muita credibilidade e essa ideia que elas tiveram foi ótima”, completa.

A idealizadora do Festival diz ainda que pretende tornar o evento anual, com edições que sigam o plano de ter o período de um mês. Ela acredita que o público está aproveitando bem o evento: “Já tivemos um feedback de alguns restaurantes participantes, que afirmam estarem vendendo bem os pratos do Festival. Também tivemos um grande acesso em nosso site e nossas redes sociais, e o público tem compartilhado conosco através da #baixagastronomialondrina o que está provando por aí”.

Mas para os amantes dos ingredientes, fiquem tranquilos porque não terão de esperar um ano para degustar novamente essas receitas. A Maria Eduarda conta que alguns pratos permanecerão no cardápio dos estabelecimentos, é só aguardar para saber quais serão.

Confira aqui o endereço dos estabelecimentos participantes e o valor de cada prato.

 

(*) Aluna do CTCOM-UTFPR e do Curso de Extensão em Prática Jornalística.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s