Sem estrelismo e com muito potencial

A história de dois amigos que se tornaram sócios de uma agência de comunicação

 

Rodrigo e Andrei, respectivamente.

Rodrigo e Andrei, respectivamente.

 

(*) Dayse Porto

 

Rodrigo América tem 40 anos de idade, já cursou Publicidade e Propaganda na PUC-PR, como primeira opção de curso e depois se especializou em Marketing na mesma instituição. A aptidão para essa área já era conhecida desde a adolescência: estudou desenho industrial no antigo CEFET-PR. Foi durante um período de crise no jornal que trabalhava, onde o pagamento estava atrasado há três meses, que conheceu Andrei Capelum, outro funcionário do jornal que estava na reunião para decidir as diretrizes a serem tomadas naquela ocasião. Rodrigo defendia a greve, Andrei acreditava em uma solução menos radical. Assim nasceu um vínculo de amizade que transcendeu e originou em uma parceria profissional de sucesso. Os dois fundaram a Crânios Comunicação, agência situada em Curitiba.

Originalmente, o empreendimento recebeu o nome “Hands – Assessoria de Imprensa” e está no mercado há 12 anos. Como a publicidade sempre foi prioridade para os dois profissionais e os contatos consolidados no antigo emprego poderiam gerar uma cartela de clientes, Rodrigo e Andrei resolveram que iriam começar um projeto que suprisse a carências e as necessidades que a área sofria na época. “O começo foi muito duro, ficamos meses sem nenhum lucro, apenas trabalhando para conquistar a confiança dos clientes e mostrar a qualidade do nosso trabalho”, comenta Rodrigo que faz questão de destacar ainda, que o diferencial da agência é justamente o conforto e a confiança que sempre procuraram passar aos clientes.

No primeiro ano de atividade houveram muitos desafios, até mesmo como calote. Após esse período de muito trabalho o pequeno escritório em Araucária, que além dos dois tinha mais uma funcionária, foi se consolidando e as oportunidades no mercado forma se abrindo. Andrei, que chegou a cursar um ano e meio de Design de Produto na Universidade Tuiuti do Paraná, mas nunca se formou, afirma que a Crânios conseguiu se solidificar por que “não tem frescura”. Contato direto com o planejamento, direção de arte e produção de conteúdo são as marcas registradas da agência, “Aqui o cliente liga e não fica em um telefone sem fio interminável, por que isso prejudica o trabalho. O contato é direto com quem está produzindo ou responsável em atender a necessidade do cliente”, disse.

Ambiente integrado onde todos respiram comunicação, o trabalho é todo em equipe e por isso, a rapidez na resposta ao cliente, a organização e bom atendimento são as características que possibilitaram a parceira de contratos mensais com alguns clientes. “Por um lado, foi uma grande conquista conseguir fidelizar esses clientes. Por outro é um grande desafio, já que o contrato mensal pode gerar uma dependência financeira muito grande”, disse Rodrigo que aos 40 anos, ainda vê muitos desafios pela frente. A área da comunicação passa por mudanças constantemente e isso exigiu dos dois sócios adaptação e a busca por novos profissionais, cada vez mais qualificados. “Abrir o leque de possibilidades e aumentar o portfólio é essencial, não dá pra fugir disso”, destaca Andrei, que está com 34 anos e uma hiperatividade de 20.

Para o futuro, ambos esperam melhorar a estrutura e as qualificações, e consideram perfeitamente possível aumentar ainda mais a cartela de clientes cada vez mais, já que o começou não contou com nenhum apadrinhamento e, mesmo que a passos lentos, nunca esteve tão firme no mercado. Quando questionados sobre conselhos para os futuros profissionais e aspirantes da área, Rodrigo afirma que “O aumento de concorrência e barateio do serviço tornou o ramo muito ingrato, mas apesar de tudo isso e da correria, é muito gratificante”. Ele acredita que todo trabalho é difícil, e quando se faz o que gosta, até o difícil fica mais fácil.

Já Andrei, antigo apreciador do líquido dourado mais cultuado do mundo, a cerveja, diz que a integração e os bate papos da equipe são responsáveis pelas grandes ideias. “Não existe isso de ‘publicitário estrela’, a equipe tem que se complementar, se ajudar. Não dá pra se iludir e achar que é tudo muito fácil, por que não é. Mas também não pode ter medo de mostrar seu potencial”, afirma. Assim os dois continuam no comando da Crânios Comunicação, mais conscientes e experientes e com o mesmo gás e vontade de 12 anos atrás.

 

(*) Aluna do CTCOM-UTFPR e do Curso de Extensão em Prática Jornalística.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s