Equilíbrio e grandes surpresas marcam a primeira fase da Copa do Mundo 2014

Aldebaran Campos (*)

A primeira fase da Copa do Mundo chegou ao fim e mostrou ao mundo que o futebol é um esporte surpreendente, onde nem sempre o time com os melhores jogadores, melhor preparação e maior tradição consegue sobressair ao empenho e dedicação das equipes menores.

No grupo A, o Brasil teve dificuldades na segunda rodada contra o México, mas mostrou que tem um time compacto e jogadores capazes de decidir um jogo a qualquer momento. Com a vitória de 4×1 sobre Camarões, nossa seleção garantiu a primeira colocação com sete pontos. Também com sete pontos ficou a seleção do México, perdendo para o Brasil no saldo de gols. Individualmente o destaque do grupo é o atacante Neymar, que fez grandes apresentações – principalmente contra Camarões – e vem encantando o mundo com seus dribles e gols (foram quatro até aqui).

A surpresa do grupo B foi negativa: a Espanha, atual campeã mundial, bicampeã europeia e vice na Copa das Confederações, não apresentou o bom futebol dos últimos anos. Foi facilmente dominada pelas duas outras forças do grupo, Holanda e Chile, e chegou a última rodada já eliminada. A vitória por 3×0 diante da Austrália de nada adiantou. Segundo a imprensa espanhola, o time deve iniciar uma renovação a partir da Copa, a começar pelo técnico Vicente Del Bosque. Holanda e Chile classificaram-se para a segunda fase e mostraram um futebol ofensivo e convincente. Destaque para o holandês Arjen Robben, que marcou três gols e foi fundamental para a “Laranja Mecânica” nessa primeira fase.

A Colômbia dominou o grupo C e conseguiu 100% de aproveitamento. A defesa, liderada pelo veterano Mario Yepes, é sólida e o ataque contundente. Os colombianos estão em festa e tem motivos para isso. O destaque do time é o camisa 10, James Rodriguez, jovem meio-campo do Mônaco (França). James tem feito a torcida esquecer a ausência do astro do time, Falcão García. Na primeira fase, a Grécia não mostrou um futebol empolgante, muito pelo contrário, é uma das equipes mais travadas e pouco criativas da Copa do Mundo. Mesmo assim surpreendeu a Costa do Marfim na última rodada e venceu por 2×1. O gol da classificação grega veio nos últimos minutos, de pênalti, com Samaras.

O chamado “Grupo da Morte” reunia três campeãs mundiais e um azarão, que surpreendeu. A Costa Rica passou por Uruguai e Itália nas primeiras rodadas e administrou um empate com a Inglaterra para assegurar o primeiro lugar no grupo D. Com isso, a empolgação no país está nas alturas e alguns torcedores já sonham, inclusive, com o título mundial. O Uruguai, segundo colocado no grupo, mostrou toda sua raça para se classificar, mas a mordida do atacante Luis Suárez no zagueiro Chiellini, da Itália, foi o grande destaque da equipe até aqui.

O grupo E foi o mais previsível da Copa. A França mostrou todo seu arsenal ofensivo e classificou-se com tranquilidade. Liderados por Karim Benzema, “les bleus”, como são conhecidos, não tiveram problemas para passar por Honduras, Suíça e Equador. A Suíça ficou com a segunda vaga, mas o time é pouco confiável e não deve ser um problema para a seleção argentina nas oitavas-de-final. A Argentina não empolgou a torcida na primeira fase, mas venceu os três primeiros jogos e tornou-se uma das favoritas ao título. As boas atuações e os gols do atacante Lionel Messi, que divide a artilharia da Copa com Neymar e Thomas Müller, da Alemanha (todos com 4 gols), deixaram os argentinos um pouco mais entusiasmados para a sequência da competição. A Nigéria ficou com a segunda vaga do grupo F, desbancando o time iraniano e a estreante Bósnia e Herzegovina.

Os treinadores de Estados Unidos e Alemanha, Jurgen Klinsmann e Joachim Low, respectivamente, são muito amigos e com certeza ficaram felizes com a classificação de ambas as equipes no grupo G. A Alemanha tem um time forte e é considerada, ao lado do Brasil, a grande favorita ao título. Já os Estados Unidos tem um ataque pouco contundente e não devem chegar muito longe no campeonato. A surpresa negativa do grupo foi o fraco desempenho do melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, que não conseguiu liderar a seleção portuguesa e acabou eliminado marcando apenas um gol.

A candidata a sensação da Copa do Mundo não brilhou no grupo H. Mesmo vencendo os três primeiros jogos, o futebol apresentado pela Bélgica foi muito aquém das expectativas. Apesar disso, a torcida confia muito no jovem meio-campo Eden Hazard e no técnico Marc Wilmots para chegar cada vez mais longe e mostrar todo o bom futebol que a seleção pode produzir. O time da Argélia classificou-se em segundo, eliminando a Rússia, e já entrou para a história do país, que nunca tinha passado da primeira fase em mundiais. Agora os argelinos sonham em aprontar para cima da favorita Alemanha nas oitavas-de-final.

Confira os jogos da próxima fase:

Dia 28/06
Brasil x Chile (13h)
Colômbia x Uruguai (17h)

Dia 29/06
Holanda x México (13h)
Costa Rica x Grécia (17h)

Dia 30/07
França x Nigéria (13h)
Alemanha x Argélia (17h)

Dia 01/07
Argentina x Suiça (13h)
Bélgica x Estados Unidos (17h)

(*) Aluno do CTCOM-UTFPR e presidente da AAASMA – Atlética de Comunicação e Design

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s